19 de março de 2022

Como a torra de café de marca própria pode impulsionar a sustentabilidade?

Compartilhar:

Produtos de marca própria – café e outros – tiveram um aumento nas vendas durante a pandemia, de acordo com as pesquisas da Coresight Research.

Só nos Estados Unidos, pelo quarto ano consecutivo, os produtos de marca própria em supermercados e mercearias tiveram mais crescimento de vendas do que as marcas de nome. Isso mostra que existe um mercado próspero para os torrefadores entrarem, se eles tiverem capacidade para isso.

Mas, à medida que a sustentabilidade surge na agenda das partes interessadas em todo o setor, uma questão-chave permanece: como os torrefadores de marca própria podem fazer sua parte para promover a sustentabilidade na cadeia de abastecimento do café?

Um em cada três consumidores dos EUA acredita que os valores de comércio justo são uma parte essencial de suas decisões de compra. Da mesma forma, pesquisas indicam que usar o selo Fair Trade CertifiedTM em produtos pode aumentar as vendas em até 3,3%.

Para saber mais sobre como o café de marca própria pode impulsionar cadeias de suprimentos de café sustentáveis, conversamos com três especialistas do setor cafeeiro. Continue a ler para saber o que disseram.

Você também pode gostar do nosso artigo sobre Como reduzir os custos da torrefação.

torrefação de café de marca própria

O que é uma torra de café de marca própria?

Na definição mais simples possível, os produtos de marca própria são produzidos por uma empresa e, em seguida, vendidos sob a marca de outra empresa.

No setor cafeeiro, isso significa que sempre que você vir um café torrado vendido com a marca de uma empresa que não seja o café, é provável que se trate de um produto de marca própria.

Ashley Singer é Gerente Sênior de Desenvolvimento de Parcerias para produtos de Marcas Próprias na Fair Trade USA. Ela nos conta mais sobre por que o café de marca própria é tão popular entre as marcas.

“As marcas costumam buscar estabilidade e consistência quando se trata de produtos de marca própria – seja com embalagens, perfis torrados, receitas ou requisitos de abastecimento.”

“Em última análise, isso significa que as marcas podem aproveitar os produtos de marca própria para fornecer de acordo com suas especificações e garantir que tenham um produto consistente.”

torrefação de café sustentável

Aumento da popularidade de café de marca própria

Dentro do setor mais amplo de marcas próprias, a categoria individuais de alimentos e bebidas tem sido uma das que apresentou crescimento mais rápido – café incluído.

Nos EUA, o setor de bens de consumo embalados (CPG) cresceu 10,3% em 2020 para um valor total de mais de USD 933 bilhões. Estima-se que o CPG de marca própria tenha sido responsável por 18% desse crescimento. Os dados de setembro de 2020 da McKinsey refletem isso no comportamento do consumidor, com até 17% dos consumidores entrevistados dizendo que comprariam mais produtos de marca própria no futuro.

Ashley disse que a Covid-19 fortaleceu o mercado de marcas próprias. Ela aponta as conclusões de um relatório do USDA de 2020, que indica que as interrupções econômicas globais contribuem significativamente para o crescimento do mercado de marcas próprias.

“Os produtos comercializados de forma sustentável continuaram a crescer durante a pandemia Covid-19 – conquistando uma participação de mercado de 17% apenas nos Estados Unidos”, diz ela. “Acho que a pandemia levou mais pessoas a entender como o mundo está interconectado.”

De acordo com esse relatório, disponibilidade, qualidade, confiança e preço do produto são os quatro principais fatores que influenciam a percepção do consumidor sobre os produtos de marca própria, incluindo o café. No entanto, também observa que a sustentabilidade está se tornando um fator de decisão cada vez mais importante.

“Os consumidores se preocupam agora mais do que nunca com a forma como um produto foi feito e como os trabalhadores foram tratados ao longo do caminho, e a certificação de terceiros ganhou sua confiança”, Ashley me disse. “Paralelamente a isso, eles têm visto continuamente produtos de marca própria entrando em novas categorias de produtos e ocupando mais espaço nas prateleiras a cada ano.”

Darcie Renn é o Diretor de ESG e Sustentabilidade da Albertsons Companies, um varejista de alimentos e medicamentos de marca própria que representa mais de 20 marcas de alimentos nos Estados Unidos. Ela conta mais sobre como a Albertsons potencializa o alcance da sua marca própria para ser mais sustentável.

“Em 2020, as Albertsons Companies cumpriram seu compromisso com o Desafio do Café Sustentável de ter 100% dos produtos de café O Organics certificados pelo Fair Trade”, diz Darcie.

A linha O Organics de marca própria da Albertsons foi lançada pela primeira vez em 2005 e agora inclui mais de 1.500 produtos disponíveis em todas as lojas das Albertsons Companies.

“À medida que os clientes se esforçam para entender melhor as fontes do café que compram, eles procuram certificações conhecidas, como Fair Trade e USDA Organic, para saber se suas compras têm um impacto positivo”, acrescenta Darcie.

café de marca própria

Capturando um segmento de mercado em crescimento

Com cerca de 57% dos consumidores abertos a mudanças no comportamento de compra para minimizar seu impacto ambiental, delinear e melhorar os esforços de sustentabilidade para o setor de café com marca própria não é mais importante – é essencial.

Além disso, esse número aumenta para impressionantes 95% quando considerados apenas os consumidores da geração Y e da geração Z – dados demográficos que são extremamente influentes na indústria do café.

Ashley diz: “Ao investir em certificações como a Fair Trade USA, os varejistas estão mostrando aos consumidores que a sustentabilidade faz parte de seu modelo de negócios e que eles verificaram a sustentabilidade por trás de seus próprios produtos”.

Isso é corroborado por um estudo da Inside Own Brands, que descobriu que 65% dos consumidores dos EUA confiam mais nos produtos certificados pelo Fair Trade e são sumariamente mais propensos a comprá-los.

“Ao adquirir com responsabilidade e fornecer café certificado pelo Fair Trade ou outros ingredientes em seus produtos de marca própria, os varejistas possibilitam uma melhor conscientização do consumidor”, explica Ashley.

Essa comunicação de responsabilidade ambiental e social é uma forma vital para as empresas de marca própria ganharem participação no mercado em nome dos varejistas com os quais trabalham. Ao apresentar uma gama de características nas embalagens – incluindo produção orgânica, fornecimento ético e métodos de processamento com consciência ecológica – os torrefadores de café de marca própria podem tornar os produtos mais competitivos para seus clientes.

Darcie afirma que apresentar certificações e selos de garantia nas embalagens pode promover a conscientização do consumidor.

“O selo Fair Trade Certified é exibido na frente de cada produto de café O Organics para que os clientes possam fazer a escolha na prateleira. Além disso, nossos clientes que compram online podem ver a Certificação Fair Trade em imagens e descrições de produtos em nossos sites de comércio eletrônico.”

Ashley acrescenta: “Os varejistas têm poder dinâmico para instigar mudanças. Os produtos que colocam nas prateleiras são os produtos que os consumidores agarram e, eventualmente, ganham fidelidade”.

café sustentável

Como a torra de café de marca própria afeta a sustentabilidade?

A crescente proeminência do mercado de café com marca própria torna a sustentabilidade uma questão cada vez mais importante para torrefadores e varejistas. O que eles podem fazer?

Andrés Hidalgo Espinoza é o coordenador do programa de café da Fair Trade USA. Ele disse que o tamanho do mercado de marca própria é um ótimo início para programas de sustentabilidade em grande escala.

“Os produtos de marca própria apresentam uma oportunidade incrível de oferecer impacto e resiliência em escala por meio das cadeias de suprimentos certificadas pelo Fair Trade”, explica Andrés. “O volume obtido, combinado com a acessibilidade que eles fornecem a uma ampla faixa de dados demográficos do consumidor, pode ter um impacto incrível.”

Ashley diz que a Fair Trade USA garante compromissos de sustentabilidade em todo o setor de café de marca própria, trabalhando em toda a cadeia de fornecimento.

“A Fair Trade USA está em comunicação direta com cada nível da cadeia de suprimentos”, explica. “No espaço de marca própria, isso significa que temos parceria com um grande número de torrefadores e fabricantes com a capacidade necessária para garantir que eles sejam licenciados e familiarizados com o modelo de comércio justo, processos e benefícios para os produtores.”

Andrés, porém, mora na Costa Rica. Ele conta sobre algumas das iniciativas ambientais que a organização desenvolve lá. “As iniciativas ambientais são muito comuns na Costa Rica”, diz ele. “A CoopeAtenas compromete Fundos de Desenvolvimento Comunitário para comprar terras para proteger nascentes de água doce, preservar os recursos hídricos e garantir a disponibilidade e qualidade da água para as gerações futuras.”

Andrés explica que os Fundos de Desenvolvimento Comunitário são um mecanismo fundamental no programa Fair Trade. Segundo Andrés, eles capacitam os trabalhadores a ganhar fundos adicionais além dos salários que podem investir em projetos de sua escolha.

Embora Andrés esteja destacando programas específicos na Costa Rica, o selo Certificado de Fair Trade apoia agricultores em mais de 63 países. Gerou mais de USD 840 milhões desde 1998.

Ele acrescenta: “Cooperativas como a CoopeAtenas alocam fundos de seu prêmio para o desenvolvimento de mudas de café, para que possam ajudar seus parceiros pequenos produtores a revigorar suas safras e reduzir drasticamente o custo de produção”.

“Eles também oferecem programas de reflorestamento. A sombra adequada ajuda o cultivo do café, que por sua vez atrai polinizadores, criando fazendas mais sustentáveis e um equilíbrio ambiental geral ”, diz.

No entanto, Andrés acrescenta que a Fair Trade USA também apoia iniciativas sociais.

“Um dos projetos sociais apoiados pelos Fundos de Desenvolvimento Comunitário do Comércio Justo é a iniciativa chamada ‘Casitas de la Alegría’, ou ‘Casas da Alegria’”, diz ele. “O projeto construiu cinco creches para cuidar de bebês e crianças, incluindo filhos de coletores de café migrantes.”

café fairtrade

A importância do café sustentável

A necessidade de um café mais sustentável nunca foi tão premente. De acordo com o International Trade Center, os efeitos crescentes das mudanças climáticas provavelmente afetarão a qualidade do café e a produtividade das safras em todo o mundo, além de aumentar a incidência de pragas e doenças.

“A resiliência nas cadeias produtivas sempre foi uma meta dos negócios – desde marcas e empresas até as comunidades que dependem inteiramente da produção de café”, diz Andrés. “No entanto, a cadeia de abastecimento é tão forte quanto as pessoas por trás dela, por isso é essencial que a indústria do café invista em sustentabilidade social, econômica e ambiental.”

Além das questões ambientais, a volatilidade do mercado de café também pode afetar gravemente os cafeicultores. A instabilidade de preços não prejudica apenas as perspectivas de longo prazo de uma fazenda; também pode limitar a capacidade dos pequenos produtores de sustentar suas famílias ou de se adaptar a circunstâncias imprevistas.

Um exemplo recente dessa instabilidade é a geada severa e repentina que atingiu as regiões cafeeiras do Brasil em julho de 2021. Estima-se que os agricultores tenham perdido de cinco a dez milhões de sacas de café por causa dos danos causados pela geada. Condições climáticas extremas como essas só aumentam a volatilidade do mercado de café.

No entanto, há esperança de que com mais torrefações – incluindo torrefações de marca própria – obtendo certificações de sustentabilidade, haja um caminho a seguir.

Ashley diz: “Vemos cada vez mais varejistas se comprometendo com a compra responsável e certificada pelo Fair Trade a cada ano. Esses compromissos e o crescimento contínuo do café certificado pelo Fair Trade e de outros ingredientes geram um impacto positivo para mais de 975.000 agricultores e trabalhadores anualmente”.

Darcie acrescenta: “A Albertsons Companies é parceira de longa data da Fair Trade USA e, até o momento, nosso café O Organics gerou mais de USD 3 milhões em Fundos de Desenvolvimento Comunitário”.

“Esses fundos apoiaram comunidades agrícolas ajudando a construir escolas na Etiópia, melhorando as instalações de processamento de café com moinhos a seco e secadores solares no Peru, treinando agricultores em práticas agrícolas e comerciais em Honduras e replantando árvores na Colômbia.”

Andrés destaca que o tamanho crescente do mercado de café de marca própria pode ser aproveitado para reduzir a volatilidade do mercado e gerar um impacto muito maior.

“A demanda em larga escala do setor de marcas próprias ajuda as comunidades a melhorar a estabilidade econômica e social”, diz ele. “Isso é bastante crítico na época da pandemia Covid-19, assim como foi durante a crise dos preços do café que a precedeu.”

café comércio justo

Para produtos de marca própria, as certificações e selos de sustentabilidade oferecem uma infinidade de benefícios. Embora saibamos que os consumidores preocupados com a sustentabilidade são mais propensos a comprar esses produtos, o resto da cadeia de suprimentos também se beneficia.

Ao perceber esse impacto, podemos ajudar a garantir a longevidade da cadeia de abastecimento do café para todos – na origem, na torrefação, nos cafés e em casa.

Gostou? Em seguida, leia nosso artigo sobre Torrefação sustentável. Explorando o impacto na torra do café.

Créditos: Albertsons Company, Andrés Hidalgo Espinoza, TRANSFAIR USA

Tradução: Daniela Andrade. 

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este? Assine a nossa newsletter!

Compartilhar: