1 de outubro de 2021

Por que celebrar o Dia Internacional do Café?

Antes dos anos 1000, membros da comunidade Oromo, na Etiópia, já faziam uma pasta com os frutos do cafeeiro moídos misturados com gordura para dar energia. Nos anos 1000, árabes trouxeram a planta da África, começaram a cultivá-la e já preparavam a qahwa. 

Desde então, a história do café foi uma história de resistência e resiliência. Mudas que sobreviviam a longas jornadas em alto mar, governantes e religiões que proibiram (e algumas ainda proíbem) o consumo da bebida, guerras mundiais e civis, geadas assoladoras, erupções de vulcões… e a bebida segue com aqui, sendo uma das mais consumidas e celebradas diariamente em todo o planeta.   

Não à toa, foi criada uma data para se comemorar em todo o mundo essa bebida tão essencial para milhares de pessoas diariamente: o dia 1º de outubro. A despeito de todos os desafios que o mercado enfrenta, é um dia de festa e comemoração.  

Para celebrar a data, o PDG Brasil conversou com profissionais do mercado do café e também apreciadores para saber a importância do café em suas vidas. Continue lendo para saber o que disseram. 

Você também pode gostar de ler Raio-X do café no Brasil: indústria, consumo e informações relevantes sobre o mercado do país

produtor de café Domingos Leone

O produtor

Domingos Leone cultiva café em agricultura familiar no bairro Gabirobal, em Andradas, Sul de Minas. É um exemplo e inspiração para muitos. Sua dedicação ao café, desde criança, é de admirar. Mas não pense que ele se acomoda e faz as coisas como se fazia décadas atrás. Participante da Acafeg (Associação dos Cafeicultores do Bairro Gabirobal – Andradas), ele está sempre em busca de melhorias. Agora seu foco está na qualidade e na preservação do meio ambiente.

Eu e o café

  • Nome: Domingos Leone Neto
  • Idade: 61 anos
  • Trabalha com café desde: “Ah, trabalho com café desde os 8 anos de idade. Já ia com os meus pais para a lavoura.” 
  • O que faz: produtor de café no Sítio Santo Onofre, do bairro Gabirobal, Andradas (MG)

Qual é a importância do café na sua vida?

“O café para mim hoje representa a vida, né? 

Desde criança a gente já trabalha com café. A gente tem aquela paixão. Trabalho com café desde os meus 8 anos de idade. Já ia com meus pais para a lavoura e a gente já foi assim pegando essa tradição, aprendendo a trabalhar com café. 

Eu acredito que eu não saberia fazer outra coisa, a não ser estar aqui, no meio da lavoura, apreciando a natureza, cuidando do meio ambiente. 

O que nos enche de alegria é ver um café bonito, um café carregado, um café sadio. E procurando a melhoria cada vez mais. A cada ano estamos trabalhando para produzir um café de melhor qualidade. Não só ter o trabalho, mas produzindo um café de ótima qualidade, não só pra nós. Mas para todos aqueles que vão apreciar e tomar esse café. 

E trabalhar unido com a família, né. Só tenho a agradecer a Deus por ser um produtor de café. É a maior alegria da gente aqui na roça é isso aí.” 

Cecilia Sanada café

A degustadora e consultora

Da jovem e moderna cabeleireira, Cecília começou a carreira de barista sem muitas pretensões. Rapidamente tornou-se um dos destaques no mercado em um momento de fortalecimento e reconhecimento dessa profissão, participando de campeonatos e com um trabalho consistente e qualificado. Pouco a pouco foi evoluindo na carreira, aprendendo a degustar, fazendo cursos e trabalhando em outros países e visitando fazendas, aperfeiçoando suas habilidades. Hoje é uma das degustadoras mais requisitadas do país, participando de avaliações importantes como Cup of Excellence, Xícara de Ouro do Fairtrade, entre outros concursos de qualidade. É também consultora de qualidade em cafés, uma das suas especialidades.   

Eu e o café

  • Nome: Cecília Megumi Sanada
  • Idade: 41 anos 
  • Trabalha com café desde: 2007, há 14 anos. 
  • O que faz: “Tenho uma empresa de consultoria em qualidade de cafés, a Cecilia M. Sanada Consultoria. Sou Q-grader e assistente instrutora pelo CQI, juíza de concursos de qualidade, educadora e barista.”

Qual é a importância do café na sua vida?

O café é a minha vida. 

Desde que comecei a trabalhar com ele, se tornou parte fundamental do meu dia a dia. Pude conhecer outras realidades, viajar muitos países, conhecer muitas pessoas e diferentes culturas. 

Poder trabalhar quando, onde e com projetos que têm propósito é realmente muito satisfatório. 

Com o café, eu alinho os meus projetos de vida e realizo coisas que nunca tinha imaginado.”

Roberta Bazilli mestre de torras

A produtora e torradora

Uma das mais proeminentes produtoras e mestres de torra do país, Roberta Bazilli foi pouco a pouco conquistando seu espaço no mercado. Além de ser uma profissional séria e dedicada, que produz um café de excelente qualidade, Roberta tem se voltado à torrefação que abriu, fornecendo grãos para inúmeros projetos e cafeterias. Mãe e empresária, também é consciente de seu papel como mulher em um mercado bastante masculino, sendo voz ativa e uma referência na questão da equidade de gênero. 

Eu e o café

  • Nome: Roberta da Silva Bazilli
  • Idade: 44 anos
  • Trabalha com café desde: 2006
  • O que faz: Cuido da plantação até a torra da minha marca, o Café Bazilli. Mas meu foco maior é como mestre de torra. 

Qual é a importância do café na sua vida?

“Pra mim é desafiador responder a essa pergunta. Tenho tantas ligações e interfaces com o café na minha vida! Costumo brincar que o café faz parte do meu DNA, pois sou da quarta geração de cafeicultores pelo lado materno e da quinta geração pelo lado paterno. 

Dar continuidade à tradição da família é uma sensação inexplicável, difícil achar as palavras. São muitas conexões afetivas, familiares e até profissionais. 

Acordo e durmo ao lado do cafezal, abro a janela ou a porta da minha casa e vejo só cafezal. 

A importância do café na minha vida é uma grande mistura de sentimentos. É uma honra poder criar meu filho (sexta geração) nesse cenário e viver 100% do café!” 

Felipe Wakim barista

O barista

O cliente chega e nem precisa falar qual é o seu pedido. Felipe Wakim é barista e empresário daqueles de antigamente, que sabe o nome do cliente, sabe o que cada um quer e gosta de papear. Ao mesmo tempo, é estudioso e ligado em todas as tendências. Ele também não abre mão de trabalhar com café de qualidade e oferecer diversidade de métodos para seus clientes, mesmo estando dentro de uma universidade, onde o consumo poderia ser mais restrito. Ao lado de sua cafeteria, no pátio da universidade, cultiva alguns pés de café que já estão frutificando, bem como o seu negócio. 

Eu e o café

  • Nome: Felipe Wakim 
  • Idade: 37 anos
  • Trabalha com o café desde: “Maio de 2000, ajudando na cafeteria que era do meu pai.” 
  • O que faz: “Sou barista e realizo todas as funções da cafeteria da qual sou sócio, a Café.com.br. Também sou empreendedor nas horas vagas!”

Qual é a importância do café na sua vida?

“Café para mim é fonte de inspiração, combustível da vida!

Não consigo ficar uma manhã sequer sem café… É com ele que se iniciam amizades, grandes amores ou reuniões importantes. 

É também uma ferramenta importante de grande potencial social. 

Sorte grande a minha em trabalhar com café!”

Jones importância do café

O apreciador

“Ué, mas eu?” Foi a pergunta de Jones ao receber o contato do PDG Brasil para participar deste artigo. Profissional da área de TI, é tímido aparentemente, mas não quando se trata de café. Aficionado dos mais dedicados, é um “coffee lover” ativo e generoso, compartilhando conhecimento com amigos e nas redes sociais. 

Eu e o café

  • Nome: Jones Ambrózio Oliveira Alves
  • Idade: 32 anos 
  • Trabalha com café desde: “Sou um profissional de TI, desenvolvedor back-end. Desde 2018 passei a me considerar oficialmente ‘coffee lover’”. 

Qual é a importância do café na sua vida? 

“O café é de suma importância para mim. 

Me traz o ânimo para trabalhar, mas também a paz de alguém que consegue pausar e apreciar. 

Mas não apenas isso. Quando comecei no café, estava estressado, com uma rotina desgastante. E o processo do preparo do café e a tentativa de entender as variáveis e notas sensoriais eram a minha terapia. 

Hoje o café de fato é mais que uma bebida. São emoções, sensações, amizades e companheirismo com as novas conexões que ele me traz.” 

Sérgio Parreiras pesquisador de café

O pesquisador

Sergião é um dos pesquisadores de café mais influentes do mercado brasileiro. E não é apenas pelo seu carisma e pela sua simpatia. Além de ser mediador da Rede Social do Café, Sergião é doutor em Agronomia e pesquisador do IAC dos mais dedicados, com diversas pesquisas já publicadas, participação e organização de eventos, incluindo simpósios, cursos, palestras e workshops. 

Eu e o café

  • Nome: Sérgio Parreiras Pereira
  • Idade: 47 anos
  • Trabalha com o café desde: “Meados dos anos 90, quando me graduei em Agronomia.”
  • O que faz: Sou pesquisador científico do Centro de Café do IAC (Instituto Agronômico de Campinas) e mediador da Rede Social do Café, que divulga informações do mercado e já contou com mais de 24 milhões de acessos. 

Qual é a importância do café na sua vida? 

“O café faz parte de quase tudo na minha vida… 

Meu pai trabalhou a vida toda com café e eu cresci no meio disso tudo. 

Dedico a minha vida profissional ao café desde a graduação, ou seja, nos últimos 25 anos tenho atuado no setor cafeeiro. 

Fiz mestrado e doutorado em café e estou desde 2005 no Centro de Café do IAC que é uma das mais importantes instituições de pesquisa cafeeira do mundo. 

Faço parte do Consórcio Pesquisa Café desde sua gênese, e, desde 2006, sou mediador da Rede Social do Café. Tenho apoiado iniciativas como o Fair Trade, a IWCA (Aliança Internacional das Mulheres do Café) e mais recentemente o CCRE (Coalizão do Café pela Equidade Racial). 

Bebo Café… Vivo Café… Viva o Café!!!” 

café é importante

Seja qual for a sua razão, o café, em toda a sua trajetória milenar, já demonstrou que é resiliente. A nossa bebida querida de todos os dias sobreviveu a guerras, desafios climáticos, como geadas assoladoras, campanhas negativas e até proibições de igrejas e governantes. A imensa comunidade do café, composta por milhões de pessoas, de produtores a criadores de mudas, de comerciantes de maquinários e insumos a catadores, de baristas a mestres de torra, atendentes a empresários, apreciadores e degustadores… são muitos os que dependem da bebida para sobreviver, mas, mais do que isso, são encantados por uma bela xícara esfumaçante. 

Seja qual for a sua razão para celebrar, celebre. O show cafeinado não pode parar.  

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este?  Assine a nossa newsletter!