24 de maio de 2021

Raio-X do Café no Brasil: produção, indústria, consumo, informações relevantes sobre o mercado do país

O Brasil é o país do café. Já se fala isso há muito tempo e essa máxima segue sendo verdade. Somos o maior produtor de café do mundo, segundo maior mercado consumidor e o setor, incluindo a produção e o consumo, gera mais de 30 bilhões de reais em faturamento a cada ano e envolve mais de 300 mil famílias. O café é gigante no Brasil.

Para comemorar a Semana do Café no Brasil, o PDG Brasil publicará durante toda esta semana artigos originais dedicados a temas relacionados ao país. Começamos a semana com um mapeamento dos principais dados relacionados ao setor. Para tal, o PDG Brasil conversou com especialistas das instituições mais reconhecidas do país sobre o tema. Este artigo é um convite a um mergulho nesse mercado, um raio-x do café no Brasil.   

Você também pode gostar de ler Vantagens das Indicações Geográficas de café no Brasil.

fazenda de café

PRODUTORES DE CAFÉ NO BRASIL

Segundo levantamento do CNC (Conselho Nacional do Café), o Brasil conta com 330 mil propriedades rurais dedicadas ao café. Ou seja, cerca de 330 mil cafeicultores e cafeicultoras.  

Destes, 78% são agricultores familiares, ou seja, pequenos e microempreendedores cuja gestão da propriedade é compartilhada pela família, bem como a mão-de-obra, e a atividade produtiva agropecuária é a principal fonte geradora de renda. Além disso, o agricultor familiar tem uma relação particular com a terra, sendo seu local de trabalho e moradia.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), esses cafeicultores e cafeicultoras se concentram no estado de Minas Gerais (150.971), Espírito Santo (76.110), Bahia (27.227), Rondônia (18.020) e Paraná (12.005). 

Sendo que a produção de café está presente em 1.983 municípios brasileiros.

78% do café no Brasil vem de agricultura familiar

PRODUÇÃO DE CAFÉ NO BRASIL

O Conselho Nacional do Café calcula que 63,08 milhões de sacas foram produzidas no Brasil em 2020. Como a safra de café é bianual, em 2021, a estimativa está abaixo desse volume.  

Segundo o IBGE, essa estimativa de produção para a safra 2021 é de 46 milhões de sacas. A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estima que a safra ficará entre 43,8 e 49,5 milhões de sacas.

Dos 851.600 milhões de hectares de território que temos no Brasil, 2,19 milhões de hectares são dedicados à produção de café.  

Minas Gerais e Espírito Santo são responsáveis por ¾ da produção total de café no Brasil.

A estimativa da produção de café no Brasil em 2021
é de cerca de 46 milhões de sacas

café no Brasil cerrado

EXPORTAÇÃO DE CAFÉ NO BRASIL

O Brasil registrou uma exportação recorde de café em 2020, com 44,6 milhões de sacas destinadas a outros países. Um crescimento de 9,4% em relação a 2019, segundo o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Segundo o CNC, a estimativa de exportação está entre 35 e 40 milhões de sacas em 2021, a depender do volume colhido.

Os melhores clientes externos do café brasileiro foram Estados Unidos (18,3%), Alemanha (17,1%) e Bélgica (8,4%). Na sequência estão: Itália, Japão, Turquia, Federação Russa, México, Espanha e Canadá. Veja a lista com mais detalhes.

Países que mais compram café do Brasil:

  • Estados Unidos – 8,1 milhões de sacas (18,3%)
  • Alemanha – 7,6 milhões de sacas (17,1%)
  • Bélgica – 3,7 milhões de sacas (8,4%)

O Brasil teve exportação recorde de café em 2020,
com 44,6 milhões de sacas, 70,7% da produção total

ARÁBICA E CANÉFORA

Da produção total de café no Brasil em 2020, 48,7 milhões de sacas foram de café arábica e 14,3 milhões de sacas foram de canéfora.

A região que mais produz café arábica no Brasil é Minas Gerais, responsável por 55% de cafés arábicas do país. E canéfora fica por conta do Espírito Santo, onde se colhe cerca de 2/3 do café conilon brasileiro.

No Brasil não é registrado o cultivo de outras espécies de café.

77,2% do café produzido no Brasil em 2020
foi da espécie arábica e 22,8% foi de canéfora

café e sustentabilidade mogiana

SUSTENTABILIDADE NO CAFÉ 

Cafés com certificados socioambientais já representam mais de 15% da produção de café no Brasil, segundo o CNC. Um número que cresce a cada ano.

Segundo a Euromonitor International, de 2015 a 2020, houve um crescimento de cerca de 30% no faturamento com a venda de cafés orgânicos certificados. A cada dia mais mercados estão buscando esse tipo de café e pagando melhor por esse produto. A estimativa é de que nos próximos anos, essa categoria siga em uma crescente.

Em relação à preservação de matas nativas, o percentual dentro de imóveis rurais em Minas Gerais e Espírito Santo (responsáveis por mais de ¾ da produção brasileira de café) é de 33%, totalizando 148.000 km2. A área de matas nativas preservadas apenas nesses dois estados equivale a cerca de soma dos territórios de Bélgica, Dinamarca, Países Baixos e Suíça.  

Área total estimada de matas nativas preservadas
em Minas Gerais e Espírito Santo é de 148.000 km
2

CONSUMO DE CAFÉ NO BRASIL

O café é um produto muito querido pelos brasileiros. Tomamos café todos os dias, em geral mais de uma xícara. Mas, em média, o consumo per capita, ou seja, por habitante, ainda é baixo.

Em 2020, cada brasileiro consumiu 826 xícaras, cerca de 2 xícaras por dia, e gastou R$ 127,20 durante o ano com o produto, segundo a Euromonitor International. Um consumo per capita de 4,79 kg de café torrado por habitante por ano.

 No total, consumimos 814 mil toneladas de café, o que significa um crescimento de 2,1% em relação ao consumo de 2019 e de 15% em relação a 2015.

Embora o consumo de café em geral tenha crescido, o volume em xícaras no foodservice foi menor. Mais de 175 bilhões de xícaras foram consumidas no Brasil em 2020. Em relação a 2019, esse volume em xícaras representa uma queda de 7,1% no consumo. Provavelmente, devido ao fechamento de estabelecimentos do setor Horeca (hotéis, restaurantes e cafeterias). 

O brasileiro consumiu 826 xícaras de café
em média em 2020, em torno de 2 xícaras por dia

consumo de café xícaras

MERCADO DE CAFÉ

O café emprega no país cerca de 3,5 milhões de pessoas. É o equivalente a toda a população do Uruguai, por exemplo. Um contingente imenso de pessoas dependendo diretamente e indiretamente do produto.

Falando apenas de consumo no mercado interno, o café gerou mais de R$ 27 bilhões em negócios em 2020, incluindo todas as categorias e formatos em que o produto é negociado no país, segundo a Euromonitor International.  

O faturamento desse mercado no Brasil, incluindo todas as categorias e formatos de café, contou com um crescimento de 64% nos últimos cinco anos. O que significa que o produto tem ganhado valor agregado no mercado interno.

O mercado de consumo de café gerou
27 bilhões de reais em 2020 no Brasil

CAFÉ TORRADO

Existem 1.535 indústrias dedicadas à torrefação de café no Brasil. A maioria está localizada no Sudeste, região que concentra a maior parte da produção cafeeira do país.

Em 2020 foi comercializada mais de 1 milhão de toneladas de café torrado, segundo a ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café).  

Atualmente há no Brasil
mais de 1.500 torrefações de café

cafeteria

CAFETERIAS

A Euromonitor contabiliza mais de 18 mil cafés no país. Nessa categoria, a empresa especializada em inteligência de mercado inclui todos os negócios que servem café e comidinhas, com atendimento em balcão, possível de formato “to go”, incluindo lanchonetes e botecos (mas não padarias). O número representa uma queda de 21% em relação à quantidade desses estabelecimentos em 2015. A estimativa é de que nem em 2025 o mercado consiga alcançar os 23.213 negócios que funcionavam em 2015. Mas a tendência é que esse tipo de empreendimento retome o crescimento.

Em 2020 houve uma queda de 21% no número de cafeterias, lanchonetes e
botecos que servem café existentes no Brasil

CAFÉS ESPECIAIS

O CNC estima que cerca de 15% da produção de café no Brasil já seja de cafés especiais, cerca de 8 milhões de sacas. Os outros 55 milhões de sacas são de outras categorias de café.

Já o consumo de cafés especiais no Brasil é de 1,2 milhões de sacas, segundo o Rabobank.  

15% da produção cafeeira no Brasil
é de cafés especiais

Os dados mostram a potência na produção e no consumo de café que o Brasil é. No setor produtivo, o país segue firme e forte com ainda uma boa parcela da produção sendo destinada ao mercado externo. A pandemia impactou severamente o mercado de consumo em cafeterias, hotéis e restaurantes, mas o consumo se manteve alto e está em uma crescente.

Mas, ao fazer esse mergulho no setor cafeeiro do Brasil, dois dados chamam a atenção para a importância desse mercado. Mais de 300 mil produtores dependem do produto para sobreviver. E, quando se fala em consumo, o setor gera quase 30 bilhões de reais, sem contar o que é gerado no campo, com a venda para os mercados nacional e internacional. Para além de nos proporcionar diariamente uma experiência de prazer gastronômico ou de nos proporcionar energia, o café é um dos produtos de grande importância para a economia do país.

Fontes: Euromonitor International, CNC (Conselho Nacional do Café), ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café), Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil), IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Rabobank, Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e OIC (Organização Internacional do Café).

Créditos: Acervo Federação dos Cafeicultores do Cerrado Mineiro, Acervo Fazenda Morada da Prata, Nadia Valko e Waldemar Brandt.

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este? Assine a nossa newsletter!