22 de dezembro de 2021

Cafés de dose única: novas soluções buscam mais praticidade e qualidade

Compartilhar:

Em todas as indústrias ao redor do mundo, os consumidores estão continuamente aumentando sua demanda por conveniência e velocidade. No setor cafeeiro não é diferente – as pessoas querem café de alta qualidade com a maior rapidez e facilidade possível. O mercado de café sempre se adaptou de acordo e, atualmente, os consumidores têm acesso a uma ampla variedade de opções mais convenientes do que simplesmente preparar o café. Isso inclui café solúvel e cápsulas e outras soluções em doses únicas.

Mas, enquanto os frutos continuam a crescer, o que dizer do indescritível sachê de café? Nos últimos anos, eles começaram a surgir em todo o mercado. Eles fizeram sucesso? E as outras opções de monodoses?

Para saber mais, conversamos com Georgina Cowley, da Lincoln and York, e Jonathan Wadham, da Rombouts Coffee. Eles contaram mais sobre os diferentes tipos de saquinhos de café de dose única. Continue lendo para saber o que eles têm a dizer.

Você também pode gostar do nosso Guia prático para conquistar diferentes públicos do café.

cápsulas de café

Uma visão geral do mercado de café de dose única

Jonathan Wadham é gerente de comunicações da Rombouts Coffee, em Slough, Inglaterra. Segundo ele, o mercado de café em dose única surgiu na década de 1970, mas desde então cresceu significativamente.

Ele diz: “Os cafés de dose única se tornaram populares na década de 1970, com os consumidores procurando uma maneira rápida e conveniente de fazer uma xícara de café de filtro moído fresco sem a bagunça ou desperdício das máquinas de café de filtro tradicionais”.

“A categoria cresceu de forma constante com a adição dos pacotes de café nas décadas de 1980/1990. Os sachês e cápsulas de dose única foram introduzidos na década de 1990, dominados pela Nespresso. ”

Ele acrescenta que os sachês e saquinhos de café tiveram um ressurgimento significativo nos últimos dez anos, com vários nomes conhecidos recentemente mudando a marca ou lançando um produto no mercado.

Georgina Cowley é gerente de marketing da Lincoln and York, em Brigg, Inglaterra. Ela acredita que essas doses de café pré-moído e pré-pesado reduzem significativamente a barreira de entrada para o preparo de café.

Ela diz: “Os sachês e saquinhos de café e as doses individuais podem ser preparados apenas com a adição de água quente, eliminando a necessidade de um moedor ou equipamento de preparo.

“Cápsulas e sachês permitem que o consumidor faça bebidas espresso em casa sem a necessidade de uma máquina de café espresso ou moedor,  que podem ser caros.”

café monodose

Tipos de saquinhos de café de dose única

Os cafés de dose única vêm em uma variedade de formas, mas todos eles compartilham o mesmo propósito. Eles permitem que os consumidores preparem uma xícara de café sem ter que moer, melhorando a conveniência.

Os saquinhos de café são um tipo de café de dose única que, como o nome sugere, contém café pré-moído em um saquinho que é usado para o preparo. Existem dois tipos principais: saquinhos de café padrão e sachês de café.

Saquinhos de café:

Como os saquinhos de chá, esses saquinhos de café de dose única são feitos de papel de filtro, plástico de qualidade alimentar ou uma combinação de ambos. Alguns, como os da Wildland Coffee, até incluem as etiquetas normalmente encontradas em saquinhos de chá, que são usadas para remover o saquinho quando o tempo de preparo termina.

Muito parecido com o chá, eles são mergulhados em água quente e removidos após um determinado período de tempo. Isso significa que tudo o que o consumidor precisa é de um recipiente e de uma fonte de água quente para fazer uma xícara de café, assim como o café instantâneo.

Para o fabricante, a opção de fazer saquinhos de café com papel de filtro (que até o momento é a maioria do mercado) também pode ser uma atitude positiva. Como o papel é totalmente biodegradável, os sacos de café podem ser uma solução mais sustentável para empresas que buscam entrar no segmento de dose única.

Sachês de café tipo “drip coffee”:

Uma variação dos saquinhos de café “padrão” é o sachê de café tipo “drip coffee”, que é efetivamente para servir uma única dose. Esses apareceram pela primeira vez no Japão no início da década de 1990, mas agora estão se tornando populares entre as marcas de cafés especiais em todo o mundo.

Em vez de usar um acessório do tipo V60 ou Melitta, o usuário simplesmente desdobra as abas de cada lado do saquinho e o pendura em sua xícara. Isso dá aos consumidores mais exigentes a oportunidade de servir o café sem ter que moê-lo ou medi-lo.

Como com os cafés em saquinho de chá, os sachês de “drip coffee” podem ser totalmente biodegradáveis e compostáveis, tornando-os também uma alternativa mais sustentável para cápsulas de café convencionais de alumínio e plástico.

drip coffee café

Café especial de dose única?

De acordo com Jonathan, a popularidade crescente do café de dose única encorajou os fabricantes de cafés especiais a entrarem em ação.

Enquanto muitos entusiastas de cafés especiais ficam perfeitamente satisfeitos em moer e pesar seus próprios cafés, os cafés de dose única podem oferecer uma rota alternativa e acessível para os cafés especiais, especialmente para consumidores que exigem resultados imediatos e convenientes.

Depois que a Nespresso perdeu sua patente de cápsulas de alumínio em 2011, Jonathan diz que a porta foi aberta para qualquer empresa de café especial que quisesse se expandir para o mercado de café de dose única. Como resultado, ele me disse que o mercado teve um grande aumento em volume e valor.

Georgina diz que as opções de dose única podem ser vistas como uma “porta de entrada” para o café – um passo à frente do instantâneo, sem o gasto adicional com equipamento de preparo ou um moedor.

Ela também observa que as cápsulas e os saquinhos de café costumam ser acondicionados com nitrogênio, o que os ajuda a permanecer mais frescos por mais tempo do que estariam se fossem armazenados apenas como café pré-moído em um pacote normal.

Georgina diz: “Com o tempo, esperávamos ver os consumidores fazendo melhorias em seu café, potencialmente investindo em equipamentos de preparo e moendo seus grãos”.

“No entanto, os dados da Kantar mostram um crescimento maciço de mais de 40% nas vendas de sachês de café em dose única, principalmente impulsionado por um grande número de novos compradores.”

Em geral, as opções de dose única estão crescendo, e a expansão para cafés especiais parece destinada a continuar.

“O café em dose única parece puxar os consumidores através da cadeia de qualidade”, diz Jonathan. “Trazendo o consumidor do café instantâneo para o moído pela comodidade e facilidade de uso. Eles também atraem os consumidores de café especial com um nível cada vez maior de qualidade oferecido na categoria de dose única.”

cápsulas dose única de café

Quais são as implicações ambientais do café de dose única?

O mercado de café de dose única tem seus desafios. Um dos maiores problemas enfrentados, especialmente para sachês, é o rastro ambiental que a embalagem deixa para trás.

Quando o café de dose única entrou pela primeira vez na cena da terceira onda, ele foi contestado por muitos por conta das dificuldades com a reciclagem. As cápsulas de café convencionais são normalmente feitas de uma combinação de plástico e alumínio.

Jonathan diz: “Estima-se que apenas no Reino Unido, cerca de 1.220 toneladas de resíduos entram em aterros sanitários devido a filtros de dose única, cápsulas e saquinhos de café a cada ano”.

Embora isso demonstre um crescimento no consumo de cafés em dose única, também destaca o grande impacto ambiental que o setor tem. Indiscutivelmente, a escolha mais sustentável e ecologicamente correta são os saquinhos de café feitos de papel de filtro ou outros materiais à base de plantas.

No entanto, Jonathan diz que a fabricação de cápsulas de café biodegradáveis é um desafio, pois as cápsulas requerem um certo nível de resistência à pressão que muitos materiais vegetais não conseguem fornecer.

Enquanto isso, os saquinhos de café de base vegetal não enfrentam esse problema, o que os torna a escolha certa para empresas de cafés especiais preocupadas com seu impacto ambiental. Há exceções, é claro, já que alguns fabricantes ainda usam plástico de qualidade alimentar em seus saquinhos, mas isso está mudando rapidamente.

Georgina diz: “Os saquinhos de café Lincoln & York são feitos de um material vegetal compostável, enquanto o filme externo está disponível em LDPE reciclável de fluxo 4”.

A Rombouts, por sua vez, lançou o primeiro café com filtro compostável para uma xícara no ano passado.

Jonathan diz: “O novo filtro One Cup pode ser 100% compostado em casa, com a embalagem totalmente reciclável. São feitos de bagaço, um subproduto natural da cana-de-açúcar”.

saquinhos de café monodose

Os cafés de dose única (ou monodoses) já provaram ser um intermediário atraente entre o café instantâneo e o café especial para alguns. A qualidade também está evoluindo, criando um crescente público de consumidores para cápsulas, sachês, “drip coffees” e saquinhos de café especial.

Além disso, a simplicidade dos saquinhos de café remove muitas barreiras de acesso para aqueles que não podem ou não querem investir em equipamentos especializados. Tudo o que você precisa é de água quente e uma caneca – e esse é um ângulo de marketing poderoso.

Créditos das fotos: Rombouts Coffee, Lincoln & York.

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este? Assine a nossa newsletter!

Compartilhar:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>