12 de outubro de 2021

Como a florada afeta a produção de café?

O desabrochar de flores brancas e perfumadas nas plantas de café é o primeiro passo de uma jornada de um ano. Quando acontece a florada, os agricultores podem começar a determinar a produtividade potencial para aquela estação, já que os nós de floração se desenvolverão posteriormente em frutos de café. Efetivamente, quanto mais nós e flores crescem, mais cerejas o agricultor pode colher.

As estações de floração em todo o mundo variam devido ao clima, mas a ocorrência oportuna de chuvas é um estágio chave no ciclo de vida sazonal do cafeeiro. No entanto, graças ao aumento das temperaturas, secas imprevisíveis e padrões de chuva irregulares, prever a estação de floração está se tornando um desafio maior para os produtores.

Para saber mais sobre a conexão entre a floração e a produtividade do café, conversamos com dois pesquisadores de café baseados no Brasil. Continue a ler para saber o que disseram.

Você também pode gostar de nosso artigo sobre como as abelhas podem ajudar na produtividade do cafezal.

flores no cafeeiro

A flor de café

Os cafeeiros começam a florir em média três a quatro anos após o plantio, com a fase de floração durando cerca de dois a três meses. Cada botão de floração pode desenvolver até quatro flores, que crescem em cachos ao longo do eixo (caule) das folhas. Quando florescem, têm um cheiro rico de jasmim.

Compreensivelmente, a fase de floração é muito diferente de espécie para espécie. Por exemplo, enquanto as plantas de arábica podem se autopolinizar, as plantas de robusta dependem da polinização cruzada para crescer. As flores de robusta também tendem a ser maiores e crescer em maiores quantidades (cerca de 8 a 20 por eixo, em comparação com 2 a 12 para o arábica).

Para que as flores cresçam, as plantas precisam primeiro de chuva forte. Algumas semanas após as primeiras chuvas da estação, os botões das árvores começarão a florescer. Na maioria dos casos, os trabalhadores deixam as fazendas nesse ponto, pois a floração é um processo muito delicado, e as plantas devem permanecer intactas para um crescimento ideal.

Cerca de quatro semanas depois, o perfume das flores atinge o seu máximo no “pico” da época de floração. Muitas vezes, isso é considerado algo para comemorar entre as regiões agrícolas, já que dura apenas cerca de três dias antes que as flores comecem a cair no chão. É também um sinal de que as cerejas estão começando a se desenvolver.

Alguns casais em comunidades produtoras de café até planejam casamentos nessa época para capturar a beleza escassa e o rico aroma dos campos de flores brancas.

Depois que as flores caem no chão, elas deixam para trás uma pequena protuberância redonda conhecida como “carpelo”, que depois se transforma em cereja nos meses seguintes.

Sérgio Parreiras Pereira é pesquisador científico e doutor em agronomia pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Ele diz que os carpelos se expandem até atingirem o tamanho máximo. É aí que começa o processo de amadurecimento.

O fruto do café é produzido no novo tecido formado nesses carpelos, de modo que as próprias flores podem ser colhidas sem afetar o crescimento do fruto. Em alguns casos, os cafeicultores chegam a usar as flores do café para diversificar sua renda, pois podem ser utilizadas para a produção de chá e outras bebidas, como o kombucha.

abelha polinizando flores de café

Por que a florada uniforme é importante?

“O florescimento uniforme significa um amadurecimento uniforme”, explica Sérgio. “Isso resulta em cerejas de melhor qualidade.”

No entanto, para que ocorra uma floração uniforme, a precipitação deve ser consistente e previsível. Atualmente, os padrões de precipitação nos países produtores de café estão se tornando mais erráticos, em grande parte por causa das mudanças climáticas.

As temperaturas mais altas permitem que a atmosfera da Terra retenha mais umidade, o que leva a chuvas mais pesadas, mas essas chuvas não se dispersam uniformemente pelo planeta.

Com chuvas mais irregulares, podem ocorrer padrões de floração irregulares. As flores das mesmas árvores ou ramos podem ser polinizadas em momentos diferentes, levando a vários níveis de maturação. Chuvas consistentemente fortes ou tempestades podem até danificar a planta.

A consistência na planta é importante. Se os produtores têm frutas maduras e verdes – ou saudáveis e danificadas – no mesmo galho, eles precisam colhê-las em momentos diferentes. O produtor não teria outra opção a não ser colher as cerejas manualmente, um processo que requer mais tempo e contratação de mais trabalhadores.

Porém, em algumas regiões, a colheita manual da cereja do café se tornou sinônimo de foco na qualidade, pois tem potencial para garantir maior consistência.

José Donizeti Alves é professor de engenharia agronômica e fisiologia vegetal e molecular do café da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Ele disse que, infelizmente, padrões irregulares de precipitação e flutuação de temperatura continuarão a acontecer no futuro por conta da mudança climática e provavelmente só se tornarão mais prejudiciais.

Assim como as chuvas, a temperatura é um fator essencial para o crescimento do cafeeiro. Os cientistas concordam que temperaturas amenas entre 19 e 24º C são perfeitas para iniciar o processo de floração, independentemente da localização de uma fazenda de café.

Mas, com a temperatura média global aumentando constantemente, a fase de floração pode se tornar menos uniforme e mais difícil de prever. Isso torna as colheitas mais difíceis (e subsequentemente mais caras) de organizar.

Quando as temperaturas ficam muito altas para os agricultores cultivarem café, eles geralmente respondem “escalando” altitudes mais altas com faixas de temperatura mais baixas, mas isso também traz seus próprios problemas. Altitudes mais elevadas normalmente significam terrenos mais íngremes e acidentados, o que significa que há menos espaço para cultivar café e torna-se mais difícil colhê-lo.

irrigação cafezal

Irrigação e floração

Chuvas naturais em quantidades adequadas são a “forma preferencial de umidade” do cafeeiro, segundo Sérgio. Não apenas inicia o processo de floração, mas também permite que as raízes da planta absorvam nutrientes e minerais do solo.

No entanto, para garantir que as plantas de café sejam adequadamente regadas e nutridas durante a temporada de colheita, não importa o quão consistente seja a chuva, muitos agricultores optaram por usar a irrigação.

Métodos tradicionais de irrigação

Os sistemas de água “padrão” usados para irrigar o café geralmente usam um dos três métodos:

  • Irrigação de superfície/”inundação”: onde a água é distribuída pela superfície do solo usando a gravidade (fluindo do topo para o fundo da fazenda, por exemplo)
  • Irrigação localizada: aplicação de água apenas no solo diretamente ao redor de cada planta
  • Irrigação por aspersão: irrigação de lavouras usando fileiras de aspersores elétricos colocados acima ou entre as lavouras

Estresse hídrico controlado

Nos últimos anos, os produtores de café começaram a experimentar um novo método de irrigação, conhecido como “estresse hídrico controlado”.

O processo envolve restringir a irrigação das plantas para criar uma floração mais uniforme. O método cresceu em popularidade na última década.

Ao suspender a irrigação por um longo tempo (até dois meses), os agricultores podem controlar a floração quando ela for reiniciada. Por sua vez, isso significa que as cerejas se desenvolvem de maneira mais uniforme, aumentando a consistência e a qualidade do café colhido.

Segundo pesquisas da Embrapa, esse processo de irrigação é eficaz, quando realizado de maneira adequada, e pode auxiliar os produtores a obterem os resultados mais consistentes de suas árvores.

Estudos publicados pela instituição mostram que os cafeeiros submetidos ao estresse hídrico controlado não apenas floresceram e desenvolveram frutos de forma mais uniforme, “mas também se apresentaram em melhores condições para a próxima safra”. O índice de produtividade de algumas fazendas pesquisadas aumentou em até 15%.

abelhas no cafezal

Melhores práticas para a agricultura uniforme

Enfim, tanto José quanto Sérgio dizem que é possível garantir uma fase de floração uniforme, mesmo com chuvas imprevisíveis e variações extremas de temperatura.

No entanto, também é importante para os produtores perceberem que, quando as plantas recebem água (por irrigação ou chuva) mais cedo na temporada do que deveriam, isso pode aumentar a probabilidade de certas doenças.

José diz: “As circunstâncias climáticas acabam sendo favoráveis para que os fungos (como a ferrugem do café) ataquem as plantas. Se a chuva chegar antes do previsto, há uma chance maior de que eles surjam.”

No entanto, ele diz que fungicidas podem ser usados para prevenir essas doenças, e certos fatores climáticos podem até ser usados para ajudar a combatê-los – incluindo a temperatura da fazenda.

José afirma que, entre a comunidade científica internacional do café, o cuidado extremo com a macro e micro nutrição, o controle de pragas, doenças e ervas daninhas e o uso de biorreguladores são atualmente as melhores práticas recomendadas para uma floração uniforme e produtiva.

“Esses normalmente são comprometidos pela seca e pelo calor”, diz ele. “Eles podem então inibir a síntese de inibidores de crescimento no período pós-estresse.”

Para obter mais informações sobre como mitigar padrões imprevisíveis de chuva e como usar métodos de irrigação de maneira eficaz, Sérgio recomenda buscar orientação de projetos agronômicos oficiais e organizações de pesquisa cafeeira relevantes em seu país.

flores no cafezal

Embora a colheita em si possa ser a etapa mais lucrativa para os agricultores, o desabrochar das flores brancas com aroma de jasmim é um marco importante no ciclo de produção do café.

Como as consequências das mudanças climáticas já estão forçando os agricultores a desenvolver métodos mais avançados de irrigação, um entendimento da relação entre a floração uniforme e a produtividade agrícola é vital para os produtores de café.

Créditos das fotos: Fazenda Ibiporá, Renata Silva

Tradução: Daniela Andrade. 

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este?  Assine a nossa newsletter!