6 de setembro de 2021

O novo momento dos torradores de café caseiros

Não há como negar que a torra de café em casa se tornou muito mais popular nos últimos anos em alguns países. Agora é mais fácil do que nunca conseguir pequenos sacos de café verde de qualidade especial a um preço razoável e adquirir torradores de café caseiros, tornando mais fácil do que nunca torrar seus próprios grãos no conforto da sua cozinha.

Com esse aumento na popularidade, também vimos uma evolução na tecnologia dos torrefadores domésticos. Para saber mais, conversamos com especialistas da Kaffelogic, Aillio e Sweet Maria’s. Continue lendo para ver o que eles têm a dizer.

Você também pode gostar de nosso artigo sobre Já pensou em torrar café em casa?

torradores de café caseiros

A história dos torradores de café caseiros

As primeiras patentes para torrefadores comerciais foram registradas no final do século 19 e no início do século 20. Antes disso, torrar na panela ou na frigideira ainda era relativamente comum.

Os torrefadores de café caseiros, entretanto, só ficaram disponíveis no mercado comum a partir da década de 1970. Nas décadas de 1970 e 1980, a Siemens lançou uma campanha de marketing para um torrefador doméstico chamado Scirocco.

Byron Dote é o gerente de marketing da Sweet Maria’s, uma empresa especializada no fornecimento de torrefadores de café domésticos.

“Uma das primeiras máquinas foi o Melitta Aroma Roast”, diz Byron. O Melitta era um torrador de leito fluido, usando tecnologia que desde então se tornou popular em algumas empresas.

No entanto, Byron acrescenta que o Aroma Roast foi retirado das prateleiras, e o mercado de torrefadores domésticos ficou quieto por mais uma década ou mais.

Então, diz Byron, houve um boom.

“A torrefação de café em casa teve um grande aumento de popularidade no final dos anos 1990 e no início dos anos 2000 e houve até um grande aumento nas patentes para aparelhos de torrefação domésticos [em alguns países]”, observa ele.

“Isso tudo aconteceu em meados da década de 1990, quando quantidades menores de café verde começaram a ser disponibilizadas regularmente para mais pessoas.”

Naturalmente, diz Byron, houve outro boom em 2020 graças à pandemia de Covid-19. Com mais pessoas em casa, ele diz que o interesse aumentou mais uma vez.

seleção de máquinas de torra domésticas

Século 21

Byron afirma que, desde a fundação da Sweet Maria’s, em 1997, a empresa tem procurado aproveitar ao máximo o mercado de torrefação doméstica. Ele diz: “Nosso foco principal é vender o melhor café verde que podemos, mas também faz sentido vender torrefadores e suprimentos para torrefação doméstica”.

“Desde que começamos, os fabricantes de torradores de café caseiros se tornaram mais inovadores e começaram a fornecer os recursos que os torrefadores domésticos pedem. Também vimos um aumento nos tamanhos dos lotes; agora existem máquinas que torram mais de meio quilo, o que era inédito no início dos anos 2000”.

Paralelamente a isso, Byron também observa que o software dedicado de torrefação de café também está se tornando cada vez mais acessível para torrefadores domésticos. A capacidade de monitorar curvas das torras e marcar perfis específicos permitiu que eles se tornassem cada vez mais precisos.

Byron diz: “Com muito mais pessoas entrando na torrefação doméstica nos últimos anos, os fabricantes têm olhado além do mercado do “faça você mesmo”, consertadores e amadores, para criar máquinas que são mais fáceis, seguras e limpas de usar”.

Jacob e Jonas Lillie são os fundadores do fabricante de torradores Aillio e são responsáveis por projetar o produto Bullet de propriedade da marca. O design, dizem, foi impulsionado por um conceito central: “autonomia de torrefação”.

Jacob diz: “Eu tinha um Gene Café, Jonas tinha um Behmor e ambos estávamos procurando por algo mais poderoso e versátil. Não havia nada no mercado que tivesse um preço razoável e pudesse torrar lotes maiores.”

Ele afirma que, por serem eles próprios torrefadores domésticos ávidos, estavam na melhor posição possível para compreender o mercado.

Jonas acrescenta: “Foi só depois que comecei a trabalhar para outra empresa de café que fazia acessórios para café espresso que comecei a procurar desenvolver um produto um pouco mais avançado”.

“No começo, Jacob continuou desaprovando minhas ideias porque não ficava impressionado. No entanto, quando tive a ideia de usar indução para aquecer o torrador, isso chamou sua atenção.”

Tradicionalmente, a maioria dos torrefadores de café usa o gás para aquecer o tambor e torrar os grãos. O aquecimento por indução surgiu como uma alternativa nos últimos anos. Com o aquecimento por indução, as correntes eletromagnéticas são usadas para criar resistência no metal. Essa resistência produz calor e, portanto, elimina a necessidade de gás.

Depois de construir e melhorar vários protótipos, Jonas diz que eles fizeram uma descoberta. Mas o mercado, acrescenta ele, não existia inicialmente. O protótipo Bullet era um produto especializado e de nicho.

Para comercializá-lo, Jonas diz que eles foram a fóruns online de torrefação de café e tentaram discutir os princípios por trás do Bullet.

“Muitos usuários do fórum ficaram cheios de dúvidas”, diz ele. “Recebi algumas críticas de pessoas que me disseram que eu deveria parar de mentir sobre o que estava fazendo. Demorou um pouco, mas no final, alguns dos maiores céticos acabaram fazendo pré-encomendas.”

torra de café em casa

A demanda por torrefação doméstica

A Kaffelogic é uma empresa com sede na Nova Zelândia que desenvolveu seu próprio micro-torrador: o Nano 7.

O Diretor de Desenvolvimento de Produto, Chris Hilder, diz que foi sua necessidade de um café recém-torrado em casa que motivou o design.

“Tudo começou como um projeto doméstico”, diz ele. “O sistema que desenvolvi começou a entregar um café excelente. Tanto os usuários domésticos quanto os profissionais de torrefação começaram a solicitar sua fabricação.”

“O Nano 7 é uma máquina profissional. Existem alguns equipamentos profissionais que você não gostaria de ter em sua casa, mas esta é uma peça de kit profissional que fica bem em uma cozinha doméstica.”

Chris também observa que os dois mercados obviamente têm demandas diferentes.

“O usuário comercial exige confiabilidade e capacidade de reprodução da torra acima de tudo”, diz ele. “Eles são pessoas ocupadas e não têm tempo para muita confusão, então nosso software precisa ser fácil de usar e intuitivo.”

“Os torradores de café caseiros geralmente ficam felizes em passar o tempo se envolvendo profundamente com o processo de torra, mas ao mesmo tempo exigem um café incrível direto da caixa”, explica ele. “Os usuários domésticos esperam que cada lote de 100 g esteja bom para tomar.”

torra de café doméstica

Como o mercado de torrefação doméstica deve mudar?

Byron diz que há muito interesse em torrefação de café por software e por aplicativo. Alguns fabricantes já implementaram com sucesso o controle móvel, tornando mais fácil ajustar a aplicação de calor ou a velocidade do ventilador através de um toque no telefone.

Ele diz que a tecnologia fácil de usar sempre será uma prioridade para torrefadores domésticos e observa que a acessibilidade é uma prioridade para os fabricantes.

Chris diz que o crescimento do mercado de torrefação doméstica não mostra sinais de desaceleração [e inclusive ainda é inexplorado em alguns países, como o Brasil]. Ele também acha que tem potencial para se tornar um setor altamente lucrativo.

“Os preços da torrefadora doméstica estão se expandindo”, acrescenta Byron. “Parece que há clientes que querem pagar mais por mais recursos e tamanhos de lote maiores, bem como pessoas que querem máquinas pequenas e confiáveis que não custarão uma fortuna.”

torrefação doméstica

O crescimento contínuo no mercado de torrefação doméstica pode significar mais pessoas decidindo torrar grãos em casa, especialmente à medida que os torradores de café caseiros e o café verde se tornam mais acessíveis.

Se 2020 deixou algo de bom, podemos mencionar a educação e a conscientização sobre o café entre os consumidores, que continuarão a aumentar. Os torrefadores amadores com tempo disponível trouxeram um boom recente no mercado de torradores domésticos – mas só o tempo dirá se outro está a caminho.

NOTA DO PDG BRASIL: No Brasil, o mercado de torradores domésticos está apenas começando. Com poucas empresas se dedicando a importar alguns equipamentos, caso do Um Coffee&Co., e alguns fornecedores de café comercializando grãos verdes em pequenos lotes, como Capricornio Coffees, Urbe Café e o próprio Um Coffee. Vale ficar de olho.   

Créditos das fotos: Aillio, Kaffelogic, Sweet Maria’s.

Tradução: Daniela Andrade. 

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este?  Assine a nossa newsletter!