26 de agosto de 2021

Guia básico para leilões de café verde

Leilões de café verde são uma maneira popular de comprar e vender o café verde no mercado internacional. Não só dão oportunidade aos produtores de vender seu café a preços premium, mas também os ajuda a se conectarem com compradores e a construir sua reputação.

Há muitos leilões de café verde que acontecem por todo o mundo. Os mais conhecidos, no entanto, são os leilões Cup of Excellence (COE). Microlotes menosprezados ou raros de café especial são muitas vezes arrematados em leilões, entretanto, as taxas e os custos associados afetam quanto é pago aos produtores. 

Falei com Saša Šestić, diretor do ONA Coffee da Austrália e criador do Project Origin, e Arturo Aguirre, sete vezes vencedor do COE da Guatemala e proprietário-operador da Finca El Injerto. Eles contaram mais sobre esses leilões, e discutiram quais os desafios que os produtores podem enfrentar.

Você também pode gostar de ler Direct trade na cafeicultura é um modelo eficaz? 

leilão de café verde

Como acontecem os leilões de café verde?

O café verde vem sendo comercializado em leilões há séculos. Os leilões são normalmente realizados por importadores, exportadores e organizações de café e podem ser presenciais ou online. Eles têm como objetivo colocar os produtores de café especiais e seus cafés em evidência. Normalmente, os produtores também recebem melhores preços pelo café e promovem sua fazenda a novos compradores, em novas regiões.

Os leilões presenciais ocorrem normalmente na origem durante eventos organizados por exportadores, ONGs ou outras partes interessadas da indústria. Eles permitem que produtores e compradores se encontrem pessoalmente, e às vezes incluem visitas às fazendas e sessões de cupping, além do próprio leilão. Embora os leilões promovam relações duradouras entre produtores e compradores, seu custo é alto para os produtores. Mesmo que não existam taxas, existe um custo de oportunidade, já que os produtores deixam de trabalhar para participar. Além disso, as condições de pagamento também diferem, de leilão para leilão, o que significa que os produtores às vezes têm que esperar mais tempo para receber do que normalmente.

Os leilões online, no entanto, proporcionam aos produtores um acesso mais flexível ao mercado internacional do café verde. Compradores de todo o mundo vão dar lances pelos cafés online, geralmente, depois de eles terem sido julgados, pontuados e premiados. As torrefações também podem solicitar kits de cupping e amostras para poderem tomar uma decisão mais informada sobre o café que vão comprar. Arturo prefere essa opção, pois diz que expõe os produtores a mais torrefações do que os leilões presenciais.

Entretanto, apesar de os leilões online darem a produtores maiores opções de compradores, eles podem ser menos pessoais do que se reunir presencialmente. Como comprador, Saša prefere estabelecer relações com produtores pessoalmente na origem. Ele reconhece, no entanto, que os leilões online são preferíveis em países onde as viagens são restritas, e que às vezes podem ser caros. 

Saša elabora: “É um desafio trazer os torrefadores do mundo todo para um evento. É um grande compromisso para os torrefadores e produtores estarem lá durante a semana toda. 

“Penso que é bom o que os outros leilões estão fazendo, porque é a única forma de provar esses cafés quando não podemos viajar para ver o país e a fazenda. Por isso, em uma situação como esta, é melhor configurar a plataforma online, provar esses cafés e fazer uma oferta por eles.”

café colhido

Como leilões como o the Cup of Excellence podem beneficiar os produtores 

The Cup of Excellence é uma competição mundial de café especial gerida pela ACE (Alliance for Coffee Excellence). Acontece em muitos países produtores, incluindo El Salvador, Honduras e Etiópia. Depois de cada competição, os 30 melhores cafés – contanto que todos tenham uma pontuação superior ou igual a 87 – avançam para o leilão “Xícara de Excelência” [Cup of Excellence].

Os leilões do CoE podem ajudar os produtores a receberem mais por seus cafés do que em outros lugares. Por exemplo, o CoE de 2020 na Etiópia proporcionou a venda do café de maior classificação por US$ 185,10 por libra (R$ 964,89, por 450 g)  – o preço mais elevado já pago por um café etíope. O produtor, Nigusie Gemeda, disse: “Sou agricultor há muito tempo, mas estou só começando a aprender o valor do nosso café. Estou tão feliz com o resultado. Nunca poderia imaginar que o café seria vendido a um preço tão alto.”

As competições e os leilões do CoE também incentivam os agricultores a investir na melhoria da qualidade do seu café. Geoff Watts, vice-presidente de café da Intelligentsia, diz: “A Etiópia é muito conhecida como a produtora dos cafés mais deliciosos do mundo, mas muitos dos seus agricultores estão entre os mais pobres. Este leilão envia uma mensagem que não só valida o investimento – e os riscos associados – em qualidade, mas também serve como lembrete de que o movimento em prol da qualidade está aqui para ficar.”

Os eventos do CoE também podem expor os produtores a mercados de compra de café com os quais normalmente não teriam contato, como os do Japão, da Coreia do Sul e da China. Saša diz que em sua experiência, os cafés vencedores de leilão são respeitados por muitos clientes nesses mercados, e posteriormente são muito procurados. Ele diz: “A torrefação ou a empresa que comprou esse café assim fizeram porque sabem o que os clientes querem. Eles estão tranquilos em gastar bastante para promovê-lo.”

Embora existam outros leilões independentes de café verde, o mais significativo é o Specialty Coffee Association of Panama, da competição anual Melhor do Panamá que teve início em 2001. O leilão do ano passado quebrou os recordes quando a variedade geisha natural processada, da Fazenda Elida da família Lamastus, foi vendido por US$ 1.029 por libra (cerca de R$ 5.363,66, por 450 g), com a pontuação máxima de 95,25 pontos. Esses leilões ajudaram a popularizar a variedade geisha como um café especial top. O agricultor da quarta geração na Fazenda Elida, Wilford Lamastus Jr., afirma que, embora o seu café tenha ganho prêmios, “as pessoas lembrarão da origem e da variedade, e não dos produtores individuais a longo prazo”.

Saša também acredita que esses preços elevados beneficiam mais amplamente os produtores do país. Ele diz que quando “os melhores cafés do Panamá são vendidos por 700 dólares ou 1.000 dólares por libra, todos são beneficiados”. Ele explica que ao melhorar a percepção global do café, incentiva os outros a gastar mais. Isso significa, muitas vezes, que os produtores são melhor recompensados pelo esforço que colocaram no seu cultivo.

café verde

Taxas típicas de leilões de café verde

Para que os leilões de café verde sejam acessíveis para produtores, as taxas cobradas precisam valer o preço em potencial que podem esperar por uma venda. As taxas são geralmente calculadas como uma porcentagem do preço de venda final de um lote, mas podem não ser fixas e variam de leilão para leilão. Os produtores têm também outros custos não previstos que têm que considerar.

Darrin Daniel é o diretor executivo da ACE. Ele diz que a porcentagem exata com que o produtor leva para casa dependerá de outros custos agregados. As estações de lavagem em Burundi e na Ruanda cobram uma taxa aos produtores individuais para moagem e classificação do café. “O ACE recebe 1% de comissão e os países parceiros [recebem uma percentagem] flexível de 10% a 18%.” Ele diz que, eventualmente, “cerca de 69 a 73% volta para o produtor”. 

Para decidir se vale a pena entrar num leilão específico, os produtores devem examinar os preços do café em leilões anteriores. Devem também pesquisar taxas típicas com antecedência, e verificar os valores de vendas para determinadas variedades. Essa informação ajudará os produtores a decidir quais eventos devem participar e quais cafés devem ter como objetivo vender.

Os produtores que prefiram um maior controle sobre quanto ou como são pagos podem levar o seu café para um leilão privado ou organizado por produtores. Esses leilões também podem ser adequados para produtores que não cumpram o tamanho mínimo de lote necessário para eventos maiores. No entanto, embora esse formato possa proporcionar-lhes mais controle, os produtores terão muitas vezes que confiar na sua própria reputação para atrair compradores.

Se o fluxo de caixa é um problema, os produtores também podem considerar leilões de pagamento imediato para lotes especiais menores. Por exemplo, o Brasil realizou um leilão de Mostra da Microrregião do Caparaó em 2019, organizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. 

Esse leilão permitiu que os produtores participassem com nanolotes para leilão, que foram vendidos entre 15 dólares e 54 dólares a libra. O maior valor pago é cerca de 20 vezes maior do que os produtores regionais normalmente recebem. O leilão também exigiu que os compradores pagassem em dinheiro ao dar lances. 

Muitos leilões maiores funcionam com um modelo de pagamento posterior, o que pode significar que os produtores esperem até um ano até serem pagos por seu café. Para os produtores menores, o pagamento no ato pode ser a diferença entre permanecer rentável ou se endividar.

cupping de café

Os leilões de café verde podem ser altamente benéficos para produtores de café especial. Se forem bem sucedidos, podem ajudá-los a desenvolver relacionamentos a longo prazo com compradores e construir a reputação do seu café. 

No entanto, também é importante para os produtores se certificarem de que estão devidamente informados e que estão tomando a melhor decisão. Pode haver outros modelos de leilão que sejam mais apropriados.

Créditos: Michael Burrows e Edgard Bressani.

Tradução: Daniela Andrade.

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este? Assine a nossa newsletter!