17 de agosto de 2021

Por que reciclar copos de café descartáveis é tão difícil?

Os copos de café descartáveis são um item comum nas cafeterias de todo o mundo. Eles são acessíveis para empresas e convenientes para os clientes. Mas, com apenas 1 em cada 400 copos de café sendo reciclados nos principais países consumidores, como o Brasil, eles representam um problema significativo para os níveis crescentes de desperdício. Eles são difíceis de reciclar por uma série de razões.

Para combater isso cada vez mais cafés estão oferecendo descontos aos clientes que trazem suas próprias canecas reutilizáveis. Mas, apesar disso, as pesquisas indicam uma participação mínima dos consumidores – números que só pioraram com a pandemia de Covid-19.

Então, por que é tão difícil reciclar copos descartáveis? E por que as pessoas não mudam para alternativas reutilizáveis? Para saber mais, conversamos com especialistas do setor sobre esses desafios – e o que pode ser feito para resolvê-los.

Você também pode gostar de nosso artigo sobre torrefação sustentável, explorando o impacto ambiental da torra do café.

copo de café descartável

Copos de café descartáveis para viagem e o desperdício

Muitos copos de café para viagem são feitos de plásticos à base de petróleo, como isopor e polipropileno, ou papel revestido de polietileno. Esses materiais retêm bem o calor e evitam vazamentos, o que os torna a escolha perfeita.

No entanto, os copos descartáveis exigem muitos recursos para serem produzidos. Estima-se que 20 milhões de árvores e 12 bilhões de galões de água sejam usados para fazer copos de papel todos os anos apenas nos Estados Unidos. E, embora os copos de plástico usem menos recursos naturais para serem produzidos, sua fabricação consome muito mais energia.

Tanto o isopor quanto o polipropileno são baratos e prontamente disponíveis para os fabricantes, mas são difíceis de reciclar. Os copos de papel também representam um desafio, pois precisam ser tratados para que o revestimento plástico seja removido.

O Dr. Dagny Tucker é o fundador da Vessel, uma empresa estadunidense de canecas reutilizáveis. Ela me contou que a Vessel lançou um esquema de xícaras reutilizáveis para cafés, em que os clientes digitalizam os códigos QR nas xícaras da Vessel e devolvem as xícaras usadas em cinco dias aos quiosques ou cafeterias participantes.

Dagny diz que a falta de acesso a instalações de reciclagem e os altos custos de reciclagem tornam difícil minimizar o desperdício associado aos copos descartáveis. Ela diz: “Apenas 9% de todo o plástico já produzido foi reciclado, e a maior parte do plástico reciclável é reciclado após cerca de 400 usos.”

“Especialistas em reciclagem de todo o mundo estão lutando para encontrar mercados finais para os plásticos que passam por suas instalações de recuperação de materiais. O preço dos plásticos virgens também é inferior ao custo da reciclagem de plásticos, o que não é economicamente atraente para os produtores.”

Graças a uma falta mais ampla de incentivos à reciclagem, cerca de meio trilhão de copos de café descartáveis são enviados para aterros sanitários todos os anos em todo o mundo. Uma vez descartados, os copos de isopor e polipropileno levam até 450 anos para se degradar, enquanto os copos revestidos de plástico levam cerca de 30 anos para se decompor. Quando esses materiais se decompõem, eles liberam dióxido de carbono e metano na atmosfera, contribuindo ainda mais para as emissões de gases do efeito estufa.

Os plásticos também se decompõem em microplásticos, que se espalham pelo planeta e contaminam o ar, o solo e a água – prejudicando a vida selvagem e o meio ambiente. E embora seu impacto na saúde humana seja relativamente desconhecido, os cientistas estimam que cada um de nós consome 100.000 partículas microplásticas a cada ano.

copo de café descartado no lixo

Copos biodegradáveis e compostáveis

Os copos de café podem ser feitos de materiais biodegradáveis e compostáveis, que se decompõem em seus componentes básicos com o tempo. No entanto, existem algumas diferenças notáveis entre os dois termos. Os copos compostáveis são biodegradáveis, mas um material biodegradável nem sempre é compostável.

Os materiais biodegradáveis podem se decompor em seus elementos compostos com o tempo. Em contraste, a matéria compostável se decompõe em um determinado período de tempo em compostos orgânicos, conhecidos como “húmus”. Isso então fornece nutrientes para o ambiente naquela região.

Além disso, esses sistemas só funcionam quando os consumidores são informados de que os copos são compostáveis ou biodegradáveis e têm acesso a instalações de descarte adequadas.

“Alguns copos de café são compostáveis, mas poucas cidades têm serviços públicos de compostagem ou uma cultura de compostagem”, Dagny me disse.

Na Europa, a maioria dos resíduos urbanos vai para aterros (24%) ou é incinerada (27%). Menos da metade é reciclado (31%) e menos ainda compostado (17%). Quando um consumidor não faz a sua compostagem, eles acabam em um aterro sanitário.”

Nas condições apropriadas, os materiais compostáveis industriais são obrigados pela legislação da UE a se decompor em 12 semanas e se biodegradar completamente após seis meses. No entanto, quando a exposição ao oxigênio, calor e fluxo de ar é minimizada, os copos compostáveis e biodegradáveis podem permanecer intactos por anos.

Ao contrário dos montes de compostos industriais, os aterros sanitários não são controlados ou arejados regularmente. Como resultado, os microrganismos quebram a matéria compostável e biodegradável anaerobicamente (sem oxigênio). Quando isso ocorre, os materiais liberam metano, um gás de efeito estufa, na atmosfera.

copo de café descartável

Desafios recentes da reciclagem

Sumit Lodhia é professor de sustentabilidade na University of South Australia, em Adelaide, Austrália. “A Covid-19 exacerbou o problema do desperdício resultante do café”, explica ele. “Devido à ênfase nas entregas de comida ou produtos para retirar, tem havido um aumento no uso de copos para viagem e um declínio no uso de copos reutilizáveis.”

Nos últimos 12 meses ou mais, a pandemia Covid-19 mudou a forma como a indústria global de hospitalidade tem sido capaz de aceitar copos reutilizáveis. Para cumprir as medidas de segurança da Covid previamente estabelecidas, muitos cafés usaram exclusivamente copos e utensílios para viagem e se recusaram a aceitar xícaras e copos reutilizáveis dos clientes.

Abigail Forsyth é cofundadora e diretora-gerente da KeepCup, uma empresa de copos de café reutilizáveis com sede em Melbourne, Austrália. Ela diz: “Os copos descartáveis são incorretamente considerados higiene, e um aumento no lixo plástico foi relatado como resultado da pandemia. Em consonância com esse contratempo, a cultura da conveniência voltou à vida cotidiana.”

No entanto, os níveis de produção de resíduos têm aumentado constantemente desde muito antes da pandemia. Dagny observa que o fim das exportações de recicláveis para a China em 2018 foi uma parte importante disso.

Em 1992, a China começou a importar e processar resíduos recicláveis de todo o mundo, atingindo um nível de cerca de 45% em um período de 26 anos. No entanto, em 2018, o governo chinês proibiu a importação de resíduos recicláveis para investir mais na infraestrutura de reciclagem do país.

Dagny diz: “A China fechou suas portas para recicláveis vindos dos Estados Unidos e da Europa. Antes da proibição, 95% dos plásticos coletados para reciclagem na União Europeia e 70% nos Estados Unidos eram vendidos e enviados para a China ”.

Quando a proibição entrou em vigor, as instalações nacionais de reciclagem na UE e nos EUA ficaram sobrecarregadas e as empresas que fabricam plásticos descartáveis não conseguiram reduzir a produção para cumprir suas metas.

“Quando eles pararam de comprar recicláveis importados, os recicladores se voltaram para os mercados domésticos, criando um grande excesso de oferta e consequente queda de preço”, diz Dagny. “É por isso que os recicladores estão otimizando e limitando o número e os tipos de materiais que aceitam.”

Copos reutilizáveis: os desafios

Para reduzir a demanda por xícaras para viagem em um esforço para combater o desperdício, precisamos entender o porquê da preferência do consumidores sobre os copos reutilizáveis.

A conveniência é um fator chave. “Copos reutilizáveis são facilmente esquecidos em casa ou no carro, por exemplo”, diz Dagny.

Embora os clientes possam ter boas intenções quanto à quantidade de lixo que produzem, visitar uma cafeteria pode ser uma experiência improvisada – o que significa que os consumidores recorrem a copos descartáveis.

Ao beber café em qualquer lugar, os copos para viagem também são uma maneira de economizar tempo e esforço. Eles podem ser facilmente descartados, enquanto os copos reutilizáveis devem ser guardados e lavados em casa.

Em 2019, Sumit e sua equipe de pesquisa entrevistaram consumidores, proprietários de cafés e legisladores no sul da Austrália sobre o assunto. Infelizmente, eles descobriram que os descontos não fornecem incentivo suficiente para encorajar as pessoas a mudar para copos reutilizáveis.

“Os descontos não incentivaram a reciclagem”, explica. “Poucos centavos de desconto não valiam o esforço e não faziam diferença para os clientes. A maioria nem aceitava o desconto.”

Então, que tal balançar para o outro lado e cobrar um valor extra para os clientes que desejam mudar para copos reutilizáveis?

Bem, no Reino Unido, a Starbucks testou uma cobrança de £ 0,05 para clientes que pediam bebidas em copos de papel em um esforço para mudar o hábito das pessoas para alternativas reutilizáveis. E enquanto 48% dos clientes alegaram que trariam suas próprias canecas para evitar a cobrança, a aceitação desses esquemas tem sido de apenas 1% a 2% em todas as cafeterias do país.

copo de café reutilizável

Incentivando os consumidores a usar copos reutilizáveis

Para encorajar permanentemente a mudança dos copos descartáveis, é necessária uma mudança.

Projetos de infraestrutura em grande escala para reciclar copos de café descartáveis exigirão anos de apoio e investimento dos governos, o que significa que não é uma opção imediata. No entanto, em todo o mundo, as empresas estão cada vez mais oferecendo soluções circulares de gestão de resíduos.

“Reconhecendo que os plásticos descartáveis são um problema, várias empresas de copos reutilizáveis entraram no mercado”, diz Dagny. “Mais dinheiro está sendo alocado para aumentar a conscientização sobre os plásticos descartáveis, à medida que seus perigos se tornam mais bem compreendidos.”

A Vessel usa aço inoxidável para fazer suas canecas reutilizáveis. Os clientes podem solicitar canecas Vessel nos cafés participantes a uma taxa semelhante aos copos descartáveis e podem ser facilmente devolvidos a um dos muitos locais de entrega convenientes.

Dagny explica que esse sistema circular oferece aos cafés e clientes uma experiência melhor. Os consumidores não precisam se lembrar de carregar ou lavar suas próprias canecas reutilizáveis, e os cafés pagam um preço semelhante ao que pagariam por xícaras para viagem.

Para Abigail, isso tem relação com como influenciar outras pessoas.

“Um dos maiores motivadores para evitar xícaras descartáveis é saber que os outros estão fazendo o mesmo”, diz Abigail. “Pegar a fila do café com um copo reutilizável tem o impacto imediato de desviar um copo descartável do aterro e sinaliza a intenção para as pessoas ao redor.”

Essa mudança social é necessária na criação de um sistema circular. Quanto mais pessoas adotarem canecas reutilizáveis, mais normal e aceitável elas se tornarão.

“As normas sociais em torno dos copos para viagem tornam isso uma questão cultural”, acrescenta Sumit. “Nosso estudo sugere que, para que haja uma mudança de comportamento, será necessário mais do que um esforço dos cafés. Precisamos de uma mudança cultural para incentivar a reciclagem entre os bebedores de café.”

copo reutilizável

No panorama atual do setor cafeeiro, parece improvável que o número de copos de café descartáveis que vão para aterros sanitários diminua até que sejam desenvolvidas melhores estruturas de reciclagem. E, embora as cafeterias e os consumidores tenham controle limitado sobre o estabelecimento dessas infraestruturas, exigi-las dos órgãos de governo é importante.

Nesse meio tempo, as cafeterias podem controlar como servem o café, e os clientes podem estar mais atentos aos recipientes que usam. Investindo em sistemas mais circulares e adotando esquemas de canecas reutilizáveis, milhões de copos para viagem podem ser mantidos fora dos aterros sanitários e da poluição do planeta.

Créditos: Daniel Norris.

Tradução: Daniela Andrade. 

PDG Brasil

Quer ler mais artigos como este? Assine a nossa newsletter!