16 de março de 2021

Como a coleta de dados pode beneficiar os produtores de café

A produção de café não é um processo fácil. As condições meteorológicas, a qualidade da água, a qualidade do solo, as doenças das plantas e as questões técnicas podem impactar nos esforços de cultivo, colheita e processamento feitos pelo produtor. 

Embora algumas destas variáveis possam parecer estar além do controle de qualquer pessoa, existem formas de os produtores aprenderem com elas e de as utilizarem a seu favor.

O registro e o acompanhamento de dados em cada fase de produção (da colheita ao processamento) podem lhes dar informações úteis. A aplicação destas percepções pode melhorar as suas práticas e ajudá-los a chegar mais perto de uma sustentabilidade econômica.

Eis como os produtores podem rastrear dados e usá-los para beneficiar sua produção de café.

Leia também Um Guia para a Secagem do Café

coleta dados

COMPREENDER O PAPEL DOS DADOS NA INDÚSTRIA DO CAFÉ

Os dados podem ser um recurso valioso para os produtores, e empresas como a Cropster criaram um software para ajudar os profissionais da indústria do café a registrá-los e a controlá-los. Recentemente Andreas Idl, (CEO e Cofundador da Cropster) compartilhou suas ideias sobre o software com a Specialty Coffee Association. Em sua palestra, ele explicou quais são os dados e como a indústria do café pode usá-los em seu benefício.

Segundo Andreas, “dados … descrevem nossa realidade … e como podemos entender o que está acontecendo no café”. Ele acrescenta que “tudo o que fazemos no café é baseado em dados … [tudo é] baseado em nossa percepção e todos os dados”. 

A falta de dados pode afetar muitos aspectos do processo de produção de café. Atualmente, existem dados insuficientes sobre as melhores práticas para uma agricultura resistente ao clima, e os diferentes climas, tipos de solo e sistemas agrícolas que os produtores de café enfrentam. Sem este tipo de informação, é difícil para os produtores determinar quais as ações que melhor se adequam à sua situação específica.

O acesso à informação certa pode ajudá-los a melhorar os aspectos acima mencionados, ajudando-os a aumentar a consistência da sua produção e a sua qualidade. Também pode funcionar como um aviso sobre questões futuras que possam encontrar e melhorar o seu planejamento global.

Por esta razão, os produtores precisam  aprender a registrar e analisar os seus dados em todas as fases do processo de produção. Além disso, eles precisam identificar que tipo de dados seriam mais úteis se coletados.

coleta dados

QUE TIPO DE DADOS OS PRODUTORES DE CAFÉ ESTÃO RASTREANDO?

Para saber mais sobre como os produtores estão rastreando dados, falei com Juan Vargas. Juan é Diretor de Café das Fazendas Klem, uma propriedade de café especial orgânico em Minas Gerais, Brasil.

Segundo Juan, os produtores devem registrar custos, despesas, aplicações de cultivo, medidas de controle de pragas [e doenças], tempo de produção, processos de produção e vendas de produção. Ele também menciona os diferentes estágios de produção, incluindo plantio, colheita, coleta, moagem, secagem, remoção de pergaminho e torrefação.

Marcelo Flanzer é Diretor de Café da Ecoagrícola– uma fazenda de café de mais de 500 hectares em Minas Gerais e vencedora do Cup of Excellence Brasil 2019. Ele foi específico em relação ao tipo de informação que acredita que os produtores devem registrar, e acredita que certas informações devem ser coletadas de cada lote de café. 

Ele menciona que isso deve incluir a localização precisa do lote, quando cada etapa do processo de colheita foi realizada, como o café foi processado, seu número de lote de estoque comercial, que tipo de qualidades de café foram especificadas, e muito mais. 

flor de café

VANTAGENS DO REGISTRO DE DADOS

Ao registrar as informações que Marcelo menciona, bem como outros detalhes (como os tamanhos e as cores das cerejas produzidas e quanto tempo passou desde a plantação), os produtores podem melhorar ou mesmo alterar o tempo, o local e o ambiente da sua produção. Eles também podem planejar suas despesas melhor, ou expandir para cultivar variedades de cafés diferentes ou mais adequadas.

Com base nas informações obtidas a partir dos dados, os produtores também podem “planejar os investimentos [e] resultados do próximo ano, [cultivar] cafés de melhor qualidade, evitar problemas, [identificar novas oportunidades] para melhoria, [melhor] compreender cada método de processamento e melhorar [suas] técnicas de secagem de lotes de café”, diz.

Iris Alvarado é uma provadora e especialista em Certificação na Cooperativa Capucas, uma cooperativa produtora de café orgânico de Honduras que atua no mercado internacional. Ela explica que “mantém registros para avaliar a produtividade e a gestão de cada fazenda agrícola, também para observar… como cada fazenda está se adaptando às alterações climáticas, dependendo das práticas ambientais que os produtores estão aplicando na sua fazenda”. 

É vital que os produtores sejam capazes de compreender e interpretar os dados coletados. Compreendendo as implicações, poderão avaliar com precisão o seu próprio desempenho e tomar decisões com base nas suas conclusões. 

coleta dados

ULTRAPASSAR OBSTÁCULOS COMUNS NA COLETA DE DADOS

Muitos produtores de café têm o desejo e o compromisso de começar a usar a coleta de dados como uma ferramenta, mas não têm os recursos ou o conhecimento para começar. A falta de conhecimento sobre onde coletar ou acessar os dados, bem como o receio de que sejam mal interpretados, mal utilizados ou que causem erros, são obstáculos comuns que os produtores enfrentam. 

Os produtores que não têm a certeza de onde começar devem iniciar participando de Competições de Café, já que isso lhes dará a oportunidade de mostrar o seu café, enquanto ouvem sugestões sobre como podem melhorar a sua oferta, diretamente de especialistas. Isto lhes dará uma noção melhor do que os compradores estão procurando. Ao identificar onde eles precisam melhorar, eles também terão uma ideia melhor de que dados coletar. 

Contatar instituições agrícolas e de café também pode ajudar os produtores a aprender mais sobre seus produtos, as melhores práticas que outros agricultores estão adotando, e como eles podem acompanhar os dados. Além disso, existem instituições públicas e privadas que oferecem financiamento aos agricultores para ajudá-los a desenvolver os seus sistemas agrícolas, o que inclui obter as ferramentas certas para monitorizar dados. 

grao de cafe verde

Quando estiverem prontos para iniciar o processo físico de coleta, os produtores podem usar as seguintes etapas como diretrizes:

1. Decidir quais dados querem coletar, com base nas metas que eles próprios delinearam ou as áreas que eles identificaram que precisam ser melhoradas. Por exemplo, um produtor que pretenda cultivar em altitudes mais elevadas pode recolher dados sobre a relação entre a qualidade do café e a altitude.

2. Formular um plano para coletar os dados, bem como um cronograma para coleta de dados. 

3. Determinar o método de coleta de dados mais adequado, tendo em conta o tipo de informação que tem de ser coletada. Os produtores podem registrar o que fazem em todas as fases utilizando ferramentas de monitorização online. Estas ferramentas centralizam-se na análise de dados e informações e podem ser utilizadas para melhorar as práticas agrícolas de produção de café.

Vargas sugere “Criar um arquivo Excel para gravar as atividades diárias de produção, passo a passo. Por exemplo, data de colheita, número do lote, variedade (Catuaí, Bourbon, Castillo), [e o] tipo de transporte [que eles usam].”

4. Monitore e registre dados, verificando e atualizando-os regularmente à medida que as condições mudam e são adicionadas novas informações. Isto pode incluir procurar padrões de como as plantas de café se comportam em condições específicas, ou que cores, tamanhos, ou texturas prosperam em altitudes diferentes.

Seguindo estas etapas, os produtores poderão obter a percepção necessária para tomar decisões. Isto pode ajudá-los a melhorar as suas práticas agrícolas e a sustentabilidade econômica.

coleta dados

O QUE VEM POR AÍ PARA OS PRODUTORES DE CAFÉ E DADOS ?

As alterações climáticas, as doenças das plantas e a pobreza são todas ameaças graves aos agricultores, às suas famílias e aos seus esforços de produção de café. Acompanhar e registrar dados pode ser exatamente a ajuda que precisam para começar a adotar práticas mais sustentáveis, aumentar a sua produtividade e extrair mais das suas terras. Consequentemente, qualquer esforço para resolver estas questões deve corresponder à dimensão e âmbito do problema.

Nem todos os produtores estarão na mesma posição para começar a usar os dados em seu benefício. Dependendo do orçamento e do escopo do produtor em questão (como também da sua evolução no processo de coleta de dados), diferentes medidas serão recomendadas. Para alguns, reconhecer simplesmente a importância dos dados e começar a coleta será o primeiro passo. 

A tecnologia tem um papel significativo a desempenhar aqui. Há uma boa chance de que isso envolva a Internet das Coisas, que descreve como os objetos do dia-a-dia estão se tornando cada vez mais conectados à Internet e como eles usam a Internet para se comunicarem uns com os outros. Também envolverá Blockchain. 

A tecnologia de blockchain permite que as partes distribuam, diferenciem e verifiquem o comércio que ocorre entre os grupos. Cada etapa da transação é registrada e monitorada por terceiros. É então agrupado em blocos de transações, com blocos relacionados se conectando para formar uma cadeia, ou “blockchain”.

Os produtores de café podem usar isso para comunicar e autenticar a qualidade, a origem e o preço do seu café para os compradores. Por sua vez, também pode assegurar aos produtores que o comprador está comprometido (e pode ter recursos para) a compra. Empresas como a iFinca já estão utilizando a tecnologia para ligar os produtores aos mercados globais e garantir que eles obtenham preços justos para as suas colheitas.

A tecnologia incentivará igualmente o desenvolvimento de uma agricultura inteligente. Isto ficou evidente depois que agricultores adotaram sensores e começaram a utilizar  veículos aéreos não tripulados ou drones para monitorizar e registrar tudo, desde o tamanho da fruta até à saúde das colheitas. Já está sendo utilizado para ajudar os agricultores Quenianos a registrar as suas despesas, receitas e rendimentos – e, assim, utilizar estas informações nas suas solicitações de empréstimos.

produtor de cafe

À medida que a utilização de tais ferramentas de coleta de dados se torna mais difundida e os seus custos diminuem, isto poderá representar uma enorme oportunidade para os produtores de café melhorarem a qualidade da sua colheita e sustentabilidade em geral. Quer os dados sejam adquiridos através de tecnologia de ponta ou de métodos testados e comprovados, o que o produtor faz com eles é que faz toda a diferença.

Traduzido por Daniela Andrade

Crédito das imagens: Tim Bieber, Julio Guevara, Nicholas Yamada

PDG Brasil

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!