21 de outubro de 2020

Como o Blockchain pode empoderar os produtores de café?

Toda vez que abro a seção de tecnologia da minha plataforma de notícias, o assunto blockchain está lá. Bancos, produtos, caridade, política … parece que não há nada para o qual essa nova ferramenta não seja relevante.

E o café não é exceção.

Ouvi diversas opiniões sobre o uso da blockchain na indústria do café. Alguns a favor por seu potencial de aumentar a responsabilidade e o acesso ao mercado e, assim, melhorar os preços do café verde. Outros temem que ele possa não ser acessível aos produtores de café, limitando assim seu impacto na parte da nossa cadeia produtiva que mais precisa.

Então, qual é a verdade? O blockchain pode capacitar os produtores melhorando o acesso ao mercado? E se sim, como?

Você também pode gostar de Modelos de Economia Circular e Digitalização no Setor do Café

cereja de café madura

O QUE É BLOCKCHAIN?

Scott Tupper, Fundador e CEO da Yave , um provedor de blockchain especializado em café, define blockchain como a “tecnologia transacional que permite que qualquer comércio entre pessoas seja distribuído e verificado em qualquer rede…

“A Yave é um mercado como o Airbnb. Os produtores têm algo que os torrefadores desejam, e os torrefadores expressaram a necessidade de diferenciar e validar suas ofertas de comércio direto. Permitimos que essas apresentações ocorram em uma plataforma, garantindo qualidade, transparência e fornecimento ao longo do caminho. ”

Mas o que isso realmente significa?

Scott faz uma analogia. “Então, eu vou vender uma maçã para você. As outras pessoas na rede de comércio de maçãs estão todas dormindo ou em diferentes partes do mundo, não fazem parte da transação …

“Uma foto da maçã, ou uma prova de propriedade e qualidade da maçã, será criptografada e compartilhada com todos os computadores da rede de comerciantes da maçã. Uma cópia da disponibilidade de fundos que você possui no banco que promete comprometer com a maçã também é inspecionada por todos os computadores da rede.

“E então automaticamente, o comércio é liquidado. Então, a maçã é enviada e o dinheiro é depositado. ”

Então, o que está acontecendo em uma transação de blockchain é que cada etapa da transação é registrada e monitorada por pessoas e computadores na rede, mesmo que eles não existissem para o comércio real.

As transações são agrupadas em blocos. Os blocos, cada um contendo um número definido de transações, são vinculados aos anteriores para formar uma cadeia, resultando no nome “blockchain”.

Isso faz sentido. Agora, vamos ver como funciona para o café.

processamento de grãos

BLOCKCHAIN ​​NA INDÚSTRIA DE CAFÉ

Usar o blockchain para negociação de café significa que um torrefador poderá comprar um café e acessar todos os dados anteriores, desde que ele tenha sido inserido na cadeia. Onde a blockchain estiver concluída, eles poderão ver informações sobre a fazenda da qual o café vem, quanto foi pago pelo café naquele momento e muito mais.

Da mesma forma, o produtor pode ver o que aconteceu com o café e quanto foi pago por ele, não apenas pela pessoa a quem o vendeu, mas por todos os outros órgãos que usaram blockchain para sua compra.

No entanto, que impacto isso poderia ter sobre os produtores? Vamos descomplicar isso.

blockchain café

RASTREABILIDADE E RESPONSABILIDADE

A cadeia tradicional de fornecimento de café envolve muitos atores: catadores, produtores, usinas de processamento, exportadores, importadores, torrefadores, donos de cafeterias, consumidores … Consequentemente, a rastreabilidade normalmente se perde.

No entanto, a rastreabilidade tem muitos benefícios úteis. Quanto mais você sabe sobre o seu café, mais você sabe sobre a sua qualidade. Por sua vez, mais fácil é se comunicar e trabalhar com os produtores.

Por esse motivo, a rastreabilidade é um componente essencial do movimento do café de terceira onda . No entanto, enquanto os torrefadores e consumidores estão exigindo a rastreabilidade, a realidade é que alcançá-la é um desafio.

E quando falta rastreabilidade, a responsabilidade é perdida.

blockchain café yave

Gustavo De Leon, diretor do Comitê de Cafés Especiais da Agexport, me diz: “Conheço muitas pessoas [fazendo] o que é chamado de comércio de papel (paper-trading). Eles têm uma fazenda. Pode ser uma fazenda que, no papel, está ótima … Eles podem ter inclusive um certificação válida… Mas como a certificação funciona é que é uma quantidade determinada [de café que é] certificada. Assim, oferece [aos compradores] a possibilidade de vender o café [não certificado] como café certificado. ” 

Em outras palavras, os comerciantes podem comprar o café sabendo que não é certificado. No entanto, quando chega ao comprador final, essas informações foram perdidas e o café pode ser vendido como certificado. Torna difícil para os torrefadores e proprietários de cafeterias se comprometerem verdadeiramente com seus valores.

Gustavo acredita que o blockchain pode ajudar a reforçar a responsabilidade na cadeia de suprimentos de café. A tecnologia permite que os usuários finais sigam toda a cadeia de valor de volta à origem.

“Será muito difícil modificar a cadeia de suprimentos (e como ela é construída para chegar aos consumidores finais). A partir do momento em que uma cereja de café é colhida, posso criar o bloco. Por exemplo, você escolhe “x” quantidade de cereja e cria um bloco. Você cria outro bloco depois da sua usina de processamento. Você cria um bloco após o processamento a seco. Você cria um bloco depois de classificar.

“Então, você continua criando uma série de cadeias, dando rastreabilidade. É um sistema que pode ser muito útil, dependendo de como é usado. ”

Não erradicará a possibilidade de fraude, mas se as informações forem inseridas corretamente, elas não poderão ser alteradas, obscurecidas ou “perdidas”. Como os valores de qualidade e transação são registrados sempre que o café muda de mãos, é possível rastrear o café até a fazenda e ver o que realmente está sendo negociado – e quanto custa.

Você também pode gostar de Como o Café Verde é Comprado e Vendido?

blockchain café

ACESSO A MERCADOS E MELHORES PREÇOS

Ivonne Herrera é uma jovem produtora de café na Finca Las Parásitas, na Guatemala. Ela também é mãe de Martin, filho de dois anos e estudante de nutrição clínica em uma universidade na Cidade da Guatemala.

Seus cuppings de café estão em torno de 84 pontos, o que significa que é um café especial . No entanto, com os atuais preços baixos de mercado , ela tem encontrado dificuldades em viver com essa renda.

No entanto, Ivonne também fazia parte do programa piloto da Yave para testar o potencial impacto da blockchain. Com base em suas experiências anteriores como compradores de grão verde, a Yave calculou quanto o mercado consumidor está disposto a pagar por um café de 84 pontos como base. Scott me diz que esse preço subiu constantemente, refletindo a mudança do mercado em direção aos cafés especiais e de luxo.

Usando um algoritmo, a equipe usou essa linha de base para estimar o preço que os torrefadores estariam dispostos a pagar pelo café de Ivonne. Em seguida, os custos de exportação, transporte, usinagem e assim por diante foram registrados e retirados ao longo do caminho. Isso os deixou com um preço pelo café de Ivonne.

E, no final, Ivonne ganhou US $ 2,50/lb – mais de US$ 1/lb a mais do que o mercado de commodities teria avaliado em seu café.

produtora de café

RELACIONAMENTOS NOVOS & MAIS FORTES

Ainda mais importante para Ivonne, era ter uma plataforma na qual podia se conectar com torrefadores e compradores. Com isso, seu café foi vendido até na Nordstrom, uma rede de lojas de departamentos americana dos EUA.

Scott me disse que um dos principais benefícios da rastreabilidade de ponta a ponta da blockchain é que agora você conhece o seu consumidor final e o seu produtor. Essas informações são vitais, pois podem ajudar a construir e fortalecer relacionamentos entre todas as partes interessadas. Por sua vez, isso cria estabilidade.

Ivonne diz que é simples. As informações sobre seu café e fazenda são disponibilizadas na plataforma de maneira criptografada. Se os compradores estiverem interessados, eles entrarão em contato diretamente com ela.

Quando a colheita do café começa, desde a colheita das cerejas até o processamento e a preparação para a exportação, ela usa o blockchain para registrar cada etapa do caminho, além das informações como a quantidade de café que sua fazenda está produzindo e quando ficará imediatamente disponível para os compradores. 

“A plataforma alcança a transparência”, diz ela. “Podemos nos ver e conversar. Todos podem ver o que produzimos e tudo mais. ”

Scott diz que conhecer essas informações é “valioso para torrefadores que, então, podem honestamente dizer que estão fazendo comércio direto (direct trade) [e também é] valioso para agricultores que então podem trabalhar para construir esse relacionamento e fortalecer o vínculo com torrefadores, fornecendo materiais de marketing, acesso as fazendas ou apenas um excelente café. “

Como Ivonne diz: “Para mim, a blockchain criou oportunidades”.

cereja de café verde

MAS O BLOCKCHAIN ​​É ACESSÍVEL PARA TODOS OS PRODUTORES?

Uma das principais críticas ao blockchain é que, embora possa ser um grande recurso para promover a rastreabilidade e a responsabilidade dentro da cadeia de suprimentos, sua tecnologia pode estar fora dos limites para os produtores. Isto é especialmente verdade para produtores desfavorecidos em áreas mais rurais, que podem não ter tanto acesso à internet.

Mas Scott diz que nem sempre tem que ser assim.

A Yave está desenvolvendo “módulos de acesso ao produtor”, aplicativos fáceis de usar com base no feedback dos produtores, para garantir que o sistema e a interface sejam lógicos e fáceis de usar.

Isso significa que os produtores poderão registrar sua identidade e encontrar usinas de processamenrto, compradores e Q-Graders. Eles podem atualizar seus dados e usar esses aplicativos enviando uma mensagem de texto, tornando o produto mais acessível aos produtores, mesmo que eles não tenham dados ou cobertura 3G/4G.

Como uma nova ferramenta de negociação, que pode aumentar a rastreabilidade e a transparência, unir torrefadores e produtores e resultar em melhores preços, a blockchain oferece fortes oportunidades para os produtores de café. E quando a plataforma é projetada com esses produtores em mente, oferecendo acesso fácil a essas informações, o impacto pode ser ainda mais poderoso.

Gostou disso? Confira Escolhendo as Variedades de Café Certas para sua Lavoura

Traduzido por Daniel Teixeira.

Crédito das imagens: Yave

PDG Brasil

Nota: Este artigo foi originalmente patrocinado pela Yave

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!