19 de outubro de 2020

Os produtores de café devem ouvir os conselhos dos torrefadores?

Torrefadores e produtores de café têm trabalhos interligados. Os torrefadores costumam visitar fazendas de café e geralmente entendem sobre os métodos de processamento. Eles também sabem como obter o melhor perfil e podem conhecer as tendências atuais. Portanto, faz sentido que eles possam oferecer conselhos para os produtores.

Contudo, algumas vezes, uma sugestão útil pode fazer mais mal do que bem. Continue lendo para obter algumas dicas dos especialistas sobre como conselhos errados podem levar a um café de menor qualidade. E descubra como torrefadores e agricultores podem aproveitar ao máximo seus relacionamentos para obter ótimos resultados.

Talvez você também goste de Como o Café Verde é Comprado e Vendido?

sacos de café

TORREFADORES PODEM SER UM RECURSO VALIOSO

Torrefadores trazem o melhor dos grãos de café. Para poder fazer isso, o trabalho de um torrefador normalmente se estende para além das paredes da torrefação.

É comum os torrefadores visitarem fazendas, onde podem expandir seus conhecimentos sobre o café que trabalham e também comprar grãos verdes. Um bom relacionamento entre produtor e torrefador pode permitir uma troca inestimável de conhecimento.

Fuadi Pitsuwan, co-fundador da Beanspire , me diz que o feedback dos torrefadores sobre as amostras do café verde é realmente útil. “Um dos gestos mais úteis que os torrefadores fazem para ajudar a melhorar a qualidade e ajudar os agricultores a entender o mercado é fornecer feedback sobre as amostras”, diz ele.

conselhos dos torrefadores

Fornecer feedback pode ajudar os produtores a entenderem o que os torrefadores consideram as melhores qualidades de um grão e o que está faltando. Eles podem oferecer uma opinião de especialistas sobre o grão verde e, em seguida, os produtores podem fazer escolhas sobre suas práticas com base nesse insight.

Carlos Carneiro é co-fundador da Coffee Unite . Ele me diz que os torrefadores devem aconselhar os produtores sobre o perfil que eles desejam criar. Ele conta que deveriam falar sobre “como eles [a torrefação] querem seu café no sentido de sabores, aromas, acidez”.

sacaria de café

Essa comunicação pode desenvolver um ótimo café. Benjamin Weiner é o CEO da Gold Mountain Coffee Growers. Ele me conta sobre uma boa experiência sobre um torrador fornecendo alguns conselhos.

“O torrador veio até origem e literalmente ajudou a desenvolver esse processamento natural conosco em nossa fazenda”, diz ele. “O mesmo café ganhou a medalha de ouro e prata na competição Golden Bean no ano passado.”

conselhos dos torrefadores

Juan Ricardo Gomez é engenheiro agrônomo e instrutor do SENA . Ele comenta que, quando um torrefador tem vasta experiência e pode oferecer uma compreensão das preferências do mercado aos produtores. Ele diz que, com base nessas informações, o torrefador pode sugerir tipos de processamento para obter um perfil que o mercado procura.

Mas é aqui que os torrefadores precisam ter cuidado. Oferecer conselhos sem consideração pode gerar consequências negativas.

produtor de café

QUANDO O BOM CONSELHO TORNA-SE MAU

Se um torrefador faz uma sugestão a um produtor sem ser totalmente informado, ou um produtor aceita esse conselho sem considerar suas próprias circunstâncias, os resultados podem ser catastróficos.

Os torrefadores devem ser realistas sobre suas próprias lacunas e limitações de conhecimento. Trabalhar com café todos os dias pode fornecer uma ótima educação, mas não necessariamente torna alguém um especialista em agricultura. E o que pode parecer uma sugestão óbvia em um país pode ser menos em outro lugar.

Por exemplo, o processamento honey é usual na Costa Rica. É menos provável que um produtor no Vietnã esteja familiarizado com o processo. Simplesmente sugerir que um produtor vietnamita tente o processamento honey sem treinamento, provavelmente não terminará bem. O acesso ao treinamento depende da infraestrutura local, acesso a recursos, dinheiro para investir e assim por diante.

E isso sem considerar os diferentes climas dos países, que são cruciais para o café de processamento honey de boa qualidade .

processsmento honey

Andres Ruiz é Chefe de Cafés Especiais do SENA . Ele conta que, quando um torrefador faz uma sugestão, eles devem considerar o conhecimento técnico do agricultor e que não levar isso em consideração pode levar a mal-entendidos e tentativas fracassadas.

“Os produtores podem não ter o conhecimento ou a experiência necessária para adaptar uma variedade ou adaptar sua safra de café ao ambiente de sua fazenda. Portanto, sugestões de torrefadores baseadas nas tendências do mercado devem ser fornecidas de maneira responsável”, diz ele.

conselhos dos torrefadores

Fuadi me diz que os torrefadores o aconselharam a mudar para o café orgânico, mas que ele está ciente dos riscos de fazê-lo.

Ele diz: “O problema é que não há incentivo de mercado para buscar tal sugestão. Com isso, quero dizer que o prêmio não é alto o suficiente para incentivar a troca. Isso é particularmente verdadeiro na Tailândia porque o custo de vida e de produção de café já são altos. ”

A produção de café orgânico geralmente pode significar redução da produtividade para a mesma quantidade de trabalho, tempo e terra. Portanto, pode ser uma opção mais cara para o produtor. Se Fuadi tivesse seguido cegamente o conselho de mudar para orgânico, ele poderia ter perdido dinheiro.

torrefação de café

COMO FORNECER CONSELHOS ÚTEIS

É fácil ouvir esses exemplos e concluir que a cafeicultura deve ser deixada para os produtores. Mas torrefadores e produtores têm uma riqueza de conhecimentos que podem ser compartilhados para benefício mútuo.

Os torrefadores são mais capazes de aconselhar quando conhecem o quadro completo, se isso é obtido com educação formal, experiência prática ou ambos.

Benjamin diz que antes que os torrefadores ofereçam conselhos aos produtores, eles devem passar um tempo aprendendo nas fazendas dos produtores. Isso permite que eles entendam melhor os processos envolvidos na produção de café e as características específicas dessa fazenda.

“Quanto mais os torrefadores entenderem o que acontece na origem, melhor será o conselho que eles poderão oferecer”, diz ele.

conselhos dos torrefadores

Andres me diz que o primeiro passo de um torrefador deve ser avaliar o espaço, a infraestrutura e o conhecimento que o agricultor tem sobre um determinado tópico. Isso inclui solo , clima, condições da fazenda e instalações da fábrica.

Isso pode parecer óbvio, mas considere os efeitos de um ambiente úmido como exemplo. O processamento honey utiliza longos períodos de secagem, portanto, sugerir esse método a um produtor em um clima úmido pode acarretar mofo, uma colheita em ruínas e um desastre financeiro.

Benjamin me dá outro exemplo. Ele diz: “É muito fácil para um torrador dizer que você deve plantar geshas , ou plantar Pacamara , mas essas variedades não crescem muito bem em certas altitudes”.

Saiba mais em Cafés Especiais vs Cafés Commodity: Como o lucro, Qualidade e Preços Interagem

conselhos dos torrefadores

QUEM É O RESPONSÁVEL PELO RISCO?

Sempre que um agricultor muda um processo ou introduz uma nova safra, há riscos envolvidos. Mas se um produtor faz isso a pedido de um torrefador, o risco deve ser assumido por ambas as partes.

O torrefador pode não perceber, mas seus conselhos podem incentivar o produtor a investir em ferramentas, mão de obra e equipamentos. O produtor também pode sofrer perdas se o café não corresponder às expectativas ou aos padrões de qualidade da torrefação.

patio de secagem de café

Carlos diz que os torrefadores podem apoiar esses experimentos com um padrão de preço mais alto. “Os torrefadores devem estar preparados para pagar mais pelos cafés normais para financiar a experimentação que os torrefadores desejam”, diz ele.

“Se um torrefador estiver disposto a aumentar o preço que paga … essa receita adicional pode ser usada para investir em um experimento de uma nova técnica de fermentação , por exemplo.”

Os torrefadores também podem apoiar os produtores trabalhando juntos em projetos experimentais e garantindo preços mínimos. Benjamin diz que isso é importante “Para não ficarmos presos vendendo nosso café por 50 centavos como um defeito no mercado local”.

fazenda de café

Fuadi diz que “os torrefadores devem saber que, quando as amostras chegam à sua porta, elas representam esperanças e sonhos”.

Ele diz que envia seu café para torrefadores todos os anos e que alguns compram apenas algumas sacas. Mas ele vê isso como um investimento por causa da resposta dos torrefadores. “Seus comentários são tão úteis que eu não me importo em perder dinheiro pelo feedback.”

Portanto, em vez de oferecer conselhos, os torrefadores podem ajudar os produtores simplesmente respondendo às amostras, deixando o produtor usar essas informações para melhorar o café com base em seus próprios recursos.

produtores catando café

Fuadi destaca a responsabilidade ao oferecer conselhos. Ele me diz que experimenta em todas as temporadas. “Entendo o risco e gostaria de aprender”, diz ele. “[Mas] se você lhes disser para experimentar, também explique o risco envolvido e que esses cafés podem não ser vendidos.”

Ricardo me diz que treinamentos e demonstrações podem ser benéficos. Os torrefadores podem demonstrar o processo de torrefação e oferecer oportunidades para que os agricultores provem café ao lado deles. Incentivar os produtores a analisar seus cafés pode incentivá-los a manter ou melhorar a qualidade de suas fazendas.

Saiba mais em Modelos de Economia Circular e Digitalização no Setor do Café

conselhos dos torrefadores

Quando os torrefadores oferecem conselhos genéricos aos produtores, os resultados podem ser caros e traumáticos. Mas quando as duas partes se reúnem em colaboração genuína, há oportunidade de compartilhar conhecimento e melhorar processos.

Então, torrefadores, verifiquem se vocês estão informados antes de fazerem uma sugestão. E produtores, considerem suas circunstâncias antes de investir em uma nova idéia.

Quando a comunicação é aberta e os parceiros estão cientes de suas responsabilidades, pode-se desenvolver um ótimo café juntos.

Traduzido por Daniel Teixeira

Crédito das imagens: Paulo Henrique, Devon Barker, Julio Guevara, Alejandra Munhoz, Nicholas Yamada, Neil Soque, Angie Molina

PDG Brasil

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!