12 de agosto de 2020

Um Guia para Pragas e Doenças Comuns do Cafeeiro

Pragas e doenças podem arruinar sua colheita de café. Uma infestação ou surto mal tratado pode significar dificuldades financeiras ou mesmo a devastação total da lavoura. Mas você sabe quais pragas e doenças são as maiores ameaças? E como você os identifica?

Vamos dar uma olhada nas pragas e doenças do café para entender melhor o que são e como lidar com elas.

Você também pode gostar de Condições Naturais ou Manejo: O Que é Mais Importante Na Qualidade do Café?

café verde

Cerejas do café ainda verdes. Crédito: Julio Guevara

O que causa doenças e atrai pragas

Como qualquer cultura, o cafeeiro é vulnerável a pragas e doenças. Um relatório de 2012 de Fabienne Ribeyre, pesquisadora do centro francês de pesquisa agrícola CIRAD, afirma que “a maioria das doenças do café é causada por fungos patogênicos e menos frequentemente por bactérias e vírus”.

“As doenças da podridão das raízes, as ferrugens e as doenças nas cerejas do café podem atacar árvores saudáveis ​​sem nenhuma fraqueza fisiológica específica, enquanto a maioria das outras doenças de importância econômica ocorre apenas em árvores fisiologicamente enfraquecidas”, afirma.

plantação de café

Crédito: Fernando Pocasangre

Mas alguns fatores tornam uma lavoura de café mais vulnerável a infestações ou surtos. Adriana Villanueva é cofundadora da Inconexus , uma exportadora de café colombiana. Ela me diz que os seguintes fatores influenciam a incidência de pragas e doenças.

Genética      

Algumas variedades de café são mais vulneráveis ​​a doenças do que outras. Por exemplo, sabe-se que o Bourbon / Laurina é muito suscetível à ferrugem nas folhas.

Condições ambientais      

O café é produzido em muitos países e existem pragas e doenças em todas as áreas. Mas as pragas e doenças específicas variam dependendo das condições ambientais. Por exemplo, o besouro da broca de café prospera em condições úmidas.

Portanto, quando o arábica é cultivado em altitudes mais baixas, o calor e a umidade aumentam o risco da broca de café. Mas mesmo que a estação esteja desagradavelmente seca, os insetos podem se esconder nas cerejas até as primeiras chuvas, quando emergem em massa e criam devastação.

E algumas doenças são quase universais. A ferrugem das folhas de café é um fungo que se tornou uma das maiores ameaças ao café em todo o mundo. Está presente em quase todos os países produtores de café, independentemente das condições ambientais locais.

café

Mudas de café. Crédito: Julio Guevara

Gerenciamento de culturas      

Um bom entendimento agrícola pode fazer toda a diferença no controle de pragas e doenças. Os agricultores dependem de plantas produtivas e resilientes para permanecerem competitivos. Se as culturas forem mal geridas, poderá haver um sério impacto no rendimento e nos lucros.

Por exemplo, os cafeeiros danificados podem ser mais suscetíveis à infecções por fungos e a fertilização inadequada pode causar fraqueza estrutural. E mesmo algo tão pequeno como deixar folhas caídas no chão pode ser um problema – aumenta a probabilidade de mofo e pode fornecer cobertura para pragas.

Economia

Os produtores que não ganham dinheiro suficiente para investir em suas fazendas têm maior probabilidade de sofrer com pragas e doenças. Isso pode ser cíclico. Se um agricultor não puder pagar fertilizantes, novas plantas ou pesticidas, ele poderá ser mais afetado por pragas e doenças e ter um rendimento mais baixo. Por sua vez, isso significa que eles podem não ter recursos para investir nas safras do próximo ano e o ciclo continua.

semente do café

Uma pequena muda de café. Crédito: Julio Guevara

Quais pragas e doenças você deve prestar atenção?

Embora existam centenas de pragas e muitas doenças que podem afetar as plantas de café, algumas são mais comuns que outras. O relatório da pesquisadora Ribeyre diz que existem mais de 900 espécies de insetos e diversas outras pragas (incluindo parasitas microscópicos, moluscos, aves e mamíferos) e um grande número de doenças que atacam as lavouras de café.

Mas também diz que “A maioria das pragas e doenças é distribuída espacialmente e muitas delas restritas a apenas um continente. Apenas um pequeno número de pragas estão espalhadas pelos trópicos.”

Também explica que a maioria dessas pragas foi acidentalmente espalhada por remessas de café infestadas. Vamos dar uma olhada em algumas das pragas e doenças que afetam o cafeeiro.

flor do café

Crédito: Angie Molina

Pragas comuns do café

Os insetos geralmente enfraquecem os grãos de café e reduzem a densidade. As picadas de insetos também abrem as plantas de café para infecções secundárias por fungos e outros microorganismos. A infestação por insetos não apenas reduz o rendimento, mas pode ter um efeito considerável no perfil sensorial do café, com redução na qualidade do sabor e aroma.

Estas são algumas das pragas que você provavelmente encontrará em uma fazenda de café.

Broca-do-café

Esses minúsculos besouros pretos estão presentes em quase todos os países produtores de café e se escondem dentro de cerejas. Eles são muito difíceis de gerenciar com inseticidas porque são protegidos pelas cerejas.

Os insetos se espalharam da África para o mundo inteiro, juntamente com as lavouras de café já no século XVI. A instituição Café de Colômbia afirma que essa praga causou o maior dano ao café ao longo da história.

praga do cafeeiro

A cereja do café com danos de broca de café. Crédito: Julio Guevara

Nas culturas afetadas pelos besouros da broca do café, os rendimentos são reduzidos porque as cerejas jovens estressadas podem cair prematuramente e todas as cerejas perfuradas colhidas são de menor peso.

Os danos da broca do café também afetam as qualidades sensoriais do café e isso reduz o valor comercial da colheita. Se o dano for significativo, pode fazer com que o cupping apresente um amargor prolongado ou fermentado. Os danos da broca do café também podem causar torras ​​irregulares, o que tem um impacto adicional no sabor.

Saiba mais em Como Calcular os Custos de Produção na Cafeicultura?

broca do café é uma praga do cafeeiro

Um besouro da broca do café. Crédito: L. Shyamal via Wikipedia, CC BY-SA 3.0

Bicho-mineiro

Os “bichos-mineiros” das folhas de café se apresentam em duas espécies – Leucoptera coffeella , predominante na América Latina, e Leucoptera caffeina , encontrada em países produtores africanos.

Eles afetam as folhas da planta do café. A Café de Colômbia explica que as larvas comem as folhas do café. Se vários estiverem na mesma folha, podem sofrer necrose de até 90% de sua estrutura. Necrose é a morte das células e surge como manchas escuras ou manchas marrons.

A desfolhamento afeta a capacidade da planta de fotossíntese. Sem fotossíntese, a planta não pode crescer adequadamente. Os frutos podem não amadurecer e o rendimento provavelmente será muito menor. Se o grão imaturo ou morto chegar à preparação final, eles podem criar amargura e adstringência.

praga do cafeeiro

 Credit: Creative Commons

Cochonilha  

As cochonilhas são um grupo de insetos que se alimentam de uma variedade de árvores e plantas. No café, eles atacam várias partes, incluindo galhos, nós, folhas, raízes e os cachos de flores.

Alimentam-se da seiva do cafeeiro e secretam uma substância pegajosa que atrai formigas. Essa substância também leva à formação de um mofo preto que cobre as folhas e pode reduzir a fotossíntese.

Com captação, circulação e a fotossíntese reduzidas as plantas de café se estressam e tendem a produzir grãos leves ou imaturos. Isso pode resultar em adstringência, sabor metálico ou amargor no copo.

A cochonilha do café foi encontrada na África, Austrália, Ásia, América Central e do Sul.

Nematóides      

Os nematóides são parasitas microscópicos semelhantes a vermes. Existem várias espécies que atacam o sistema radicular das plantas de café e se alimentam de sua seiva. Os nematóides podem formar nas raízes que impedem a planta de absorver adequadamente a água e os nutrientes.

A infestação pode causar raízes reduzidas, desfolhamento e perda geral da saúde nas plantas. Isso pode significar baixo rendimento e grãos menos densos.

mudas de café

Crédito: Ana Valencia

Doenças comuns do café

A doença também é uma grande ameaça à produção de café. Estas são algumas mais comuns.

Ferrugem da folha de café      

Esse fungo é um problema mundial para os produtores de café, como a Colômbia. A BBC destaca que esse fungo tem “o poder de prejudicar ou até mesmo acabar com o produto nacional do país, a base de uma de suas maiores indústrias e uma de suas fontes mais importantes de moeda estrangeira”.

Em 2012, a ferrugem do café atingiu fortemente a América Central. Nos dois anos seguintes, causou mais de US $ 1 bilhão em danos (USAID).

A doença se apresenta como uma poeira alaranjada semelhante à ferrugem na parte inferior das folhas de café. É uma condição cíclica que causa desfolhamento, assim como o bicho-mineiro. O vento e a chuva espalham esporos de ferrugem nas folhas de café, que se proliferam a cerca de 21°C. Portanto, a doença é mais prevalente no café arábica cultivado em condições mais quentes e úmidas de baixas altitudes.

ferrugem do café é uma praga do cafeeiro

Uma planta de café afetada pela ferrugem da folha. Crédito: Wikipedia

Por restringir o crescimento de novas hastes, a ferrugem do café afeta a safra do próximo ano, além de reduzir significativamente o rendimento no ano em curso.

As plantas afetadas pela ferrugem das folhas do café são incapazes de amadurecer completamente e, se derem frutos, produzirão grãos de menor densidade e com sabor adstringente. Ribeyre afirma que “ataques graves de ferrugem nas folhas de café podem resultar em grãos mortos que se transformam em grãos marrons após o processamento úmido. Esses grãos marrons têm um sabor amargo e às vezes outros sabores desagradáveis. ”

Saiba mais em Como Produzir Café Especial?

praga do cafeeiro

Uma planta de café afetada pela ferrugem das folhas. Crédito: CIAT

Murcha do café ou Fusariose      

A murcha do café é uma doença vascular do tronco da árvore do café causada por um fungo. Bloqueia a circulação da água e da seiva, fazendo com que as folhas caiam, os galhos morram e as cerejas pareçam maduras prematuramente.

O uso dessas cerejas vermelhas, mas imaturas, pode resultar em perda de acidez, aumento de amargura e sabores “verdes” no copo.

Mal Rosado

O mal rosado é outra infecção fúngica. Aparece como correias e incrustações rosadas nos galhos. Os galhos infectados perdem suas folhas e morrem. Tem sido particularmente problemático nas regiões produtoras de café do Brasil.

fazenda de café

Crédito: Julio Guevara

Como prevenir pragas e doenças

A melhor maneira de prevenir pragas e doenças é através de um bom gerenciamento agrícola. Escolha de variedade, controle de sombreamento, uso seletivo de pesticidas e nutrição das plantas são considerações importantes.

Francisco Quezada Montenegro é engenheiro agrônomo da Dinamica International Crops, produtor e exportador guatemalteco. Ele me diz: “A prevenção pode ser auxiliada por uma boa nutrição”.

Ele diz que uma boa nutrição torna a planta mais resistente, mas que aplicações preventivas de fungicidas como a mistura de Bordeaux (um fungicida à base de cobre) também são benéficas. “A importância do cobre é que é o único fungicida que não cria resistência”, diz ele.

E ele enfatiza a importância de monitorar temperaturas e umidade “para fazer as aplicações nos momentos ideais e ter uma melhor cobertura”.

plantação em Honduras

Crédito: Fernando Pocasangre

Poda e higiene      

Francisco recomenda um cronograma de manejo intensivo de poda que significa que as colheitas são podadas pelo menos a cada cinco anos. Ele diz que, após essa idade, eles se tornam mais vulneráveis ​​à doença da ferrugem do café.

A poda pode deixar feridas desprotegidas na planta, que são vulneráveis ​​à infecção por fungos, especialmente na estação das chuvas. Tenha cuidado para minimizar os danos ao remover as ervas daninhas ao podar.

Lembre-se também de manter as ferramentas e os equipamentos limpos para evitar a contaminação entre as culturas. Essas medidas para o controle de doenças das plantas são conhecidas como controle fitossanitário.

mudas de café

Um viveiro de plantas de café. Crédito: Julio Guevara

Monitoramento      

O monitoramento é uma parte essencial para manter as plantas de café livres de doenças e pragas. O monitoramento das pragas e doenças no campo ajuda a evitar grandes surtos e a minimizar o controle químico. As diretrizes específicas para o monitoramento variam de país para país.

Jhon Espitia é produtor de café e agrônomo na Colômbia. Ele diz que os produtores devem registrar o florescimento, o momento e a dosagem da fertilização. Ele recomenda usar a análise do solo para identificar necessidades nutricionais específicas e agendar datas específicas para fertilização e monitoramento visual.

Ele também diz que os agricultores devem acompanhar os níveis de sombra, chuva e umidade. Ao considerar esses fatores, você pode criar um ambiente que incentive pragas e doenças ou um que ajude a mantê-los afastados.

Saiba mais em Escolhendo as Variedades de Café Certas para sua Lavoura

plantação de café

Crédito: Julio Guevara

Pesticidas e Alternativas

Se suas plantações são afetadas por pragas ou doenças, seu primeiro pensamento pode ser a utilização de pesticidas. Mas os pesticidas químicos podem criar contaminação da água, destruir o ecossistema local e causar a morte da vida selvagem.

O relatório de Ribeyre diz que, em alguns casos, “o uso de pesticidas reduziu a população de inimigos naturais, levando a um aumento na população de pragas poucos meses após o tratamento”. Há também uma conscientização pública sobre os riscos para a saúde humana de resíduos químicos. E métodos que evitam pesticidas também são importantes para evitar resistência.

Em alguns casos os pesticidas podem ser necessários. O mesmo relatório afirma que “o uso criterioso de pesticidas em um programa bem gerenciado de manejo integrado melhorará a qualidade do café”. Portanto, você não precisa necessariamente evitá-los,  basta ver onde outros métodos podem funcionar tão bem ou melhor.

cerejas de café

Crédito: Julio Guevara

Um exemplo de controle de doenças sem produtos químicos é o método integrado de gerenciamento de pragas usado para gerenciar brocas de café. Essa técnica utiliza controle ambiental e predadores.

A Café de Colômbia explica que as vespas são criadas e depois liberadas nas lavouras de café. Eles procuram os besouros dentro das cerejas e os comem. Um mofo também é polvilhado nas lavouras para destruir as infestações por broca de café. A organização diz que esse método “permitiu à Colômbia sustentar baixos níveis de infestação em suas lavouras de café para cumprir com suas obrigações de exportação em termos de produtividade e qualidade”.

As armadilhas são outro exemplo de manejo de pragas sem pesticidas.

praga do cafeeiro

Folhas de café infectadas pela ferrugem da folha. Crédito: Nossa Família Café

Os produtores de café enfrentam muitos desafios. Embora existam muitos fatores que você não pode controlar, como as mudanças climáticas e a economia global, pragas e doenças podem ser gerenciadas. Compreender as pragas e as doenças é o primeiro passo para controlá-las.

Portanto, comece a manter registros e verifique se você está usando as técnicas fitossanitárias. Algumas pequenas mudanças podem reduzir a incidência de pragas e doenças sem grandes investimentos.

Gostou disso? Você também pode gostar Desvendando os Mitos do Pós-Colheita do Café

Traduzido por Daniel Teixeira

Observação: antes de implementar os conselhos deste artigo, também recomendamos uma consultoria de um especialista técnico local, pois as diferenças de clima, tipo de solo, variedades, métodos de processamento e muito mais podem afetar as melhores práticas de produção e processamento.

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!