7 de agosto de 2020

Cafeicultor: Como se Preparar para Mudanças Climáticas Inesperadas

No início de julho de 2019, as regiões produtoras de café no Brasil foram atingidas pela geada. As lavouras de café estavam em época de colheita, mas espera-se que as condições climáticas tenham algum impacto nos índices de produção do próximo ano. Quando a geada vem, há pouco que você pode fazer para proteger suas plantações. Mas existem maneiras de se preparar para outras mudanças climáticas inesperadas.

Continue lendo para saber mais sobre como planejar e lidar com chuvas e secas imprevistas.

Leia em espanhol: Caficultores: Cómo Enfrentar Eventos Meteorológicos Inesperados

cafeicultura e mudanças climáticas

Os Efeitos das Condições Climáticas Inesperadas

Keith Pech é gerente de vendas e exportação da Damarli Estate, em Boquete, Panamá. Ele me diz que as condições climáticas ideais são “distintas e claras, chuvosas de abril a novembro e uma estação seca de dezembro a março”. Geisha é uma escolha popular de cultivo nesta região. 

Keith me diz que muitas vezes experimentou mudanças climáticas inesperadas e que o mais prejudicial é “quando, após a estação seca e a colheita, a chuva chega, mas depois sai, promovendo a floração e as árvores perdem o fruto”. Ele diz que a chuva faz com que a fruta absorva a umidade, o que torna as cerejas mais pesadas e caiam no chão. “O resultado final é menos café, fazendo com que os produtores cobrem mais ou sofram sérias perdas se venderem a preço normal de mercado”, diz ele.

Ele também destaca o aumento do risco de pragas e doenças devido a condições climáticas inesperadas, dizendo que “se o tempo variar entre chuvoso e seco, a roya (ferrugem da folha de café) se torna um grande problema”.

Saiba mais: Escolhendo as Variedades de Café Certas para sua Lavoura

Crédito: Fernando Pocasangre

Francisco Guimarães produz café na Fazenda Lavrinha, em Minas Gerais. Ele me conta: “Um dos fatores mais críticos relacionados às condições climáticas é a alta temperatura quando o café está florescendo ou no desenvolvimento de frutas, especialmente quando essas altas temperaturas são combinadas com a baixa umidade do solo, o que pode causar estresse hídrico severo”.

“Quando essas condições ocorrem durante a floração, o risco de aborto aumenta muito e a quantidade de frutos é reduzida, resultando em uma produtividade geral mais baixa. Se essas condições ocorrerem durante a fase de desenvolvimento dos frutos, isso poderá afetar o ganho de peso e a qualidade do produto. Pode resultar em frutos menores e com menor valor no mercado”, diz ele.

Você também pode gostar: O que é Terroir e Como Ele Afeta o seu Café?

colheita do café e mudanças climáticas

Francisco me diz que, além de altas temperaturas e falta de água, suas safras correm o risco de danos por outros eventos climáticos. “Existe o risco de tempestades de granizo nesta região, o que pode causar sérios danos às culturas, como desfolhamento e queda de frutos”, diz ele. 

Como Keith, ele menciona o risco aumentado de pragas e doenças que surgem com condições climáticas inesperadas, me dizendo que, como o granizo danifica as plantas, pode permitir uma infecção mais fácil por doenças bacterianas.

“Recentemente, perdemos cerca de 2.000 sacas de café devido a uma tempestade de granizo que causou danos à safra”, diz ele. “No inverno, pode ocorrer geada, que nos casos mais extremos destrói toda a safra. Nesse caso, a poda é necessária e a produção pode ser completamente interrompida.”

Crédito: Fernando Pocasangre

Eventos climáticos imprevistos não afetam apenas as lavouras nos campos. A qualidade do café está em risco mesmo após a colheita, se ocorrer uma chuva repentina ou uma mudança de temperatura. As cerejas que secam nos terreiros correm o risco de fermentação por infecção de fungos devido a uma chuva inesperada ou um período mais frio.

Bruno Ribeiro é consultor em qualidade de café na pós-colheita. Ele diz que “a propriedade cafeeira de um produtor é um negócio ao ar livre. Então, o inesperado é sempre provável de ocorrer. Os produtores e seus colaboradores devem procurar técnicas de produção que minimizem o risco de perda da qualidade do café.”

Crédito: Ivan Laranjeira Petrich

Proteção Contra Mudanças Climáticas Inesperadas

Então, o que você pode fazer para reduzir o risco de danos e a redução da qualidade?

  • Planeje com Antecedência

Se você tem um cultivo estabelecido, não é realista mudar suas colheitas. Mas se você estiver montando novas plantações, avalie as condições da terra. Evite terrenos baixos, onde a água pode se acumular durante fortes chuvas. Isso pode aumentar o risco de pragas, podridão das raízes e infecções por fungos.

Você também deve considerar plantar grandes árvores ao redor de suas plantações para servir como barreira contra o vento. Isso pode proteger o café durante tempestades e também proteger contra a propagação da ferrugem da folha de café.

Bruno diz para ficar de olho no clima, verificando regularmente online ou assistindo previsões na TV. Se você sabe que um evento climático incomum está chegando, pode estar mais preparado.

Ele também diz que é importante ter as ferramentas e os materiais corretos à mão, sugerindo que você “tenha panos e lonas para cobrir seus cafeeiros em sua propriedade”, além de desinfetantes adequados para aplicar no café.

Crédito: Julio Guevara

  • Como Lidar com Fortes Chuvas

Excesso de água na terra pode causar podridão das raízes e colocar as plantas sob risco de fungos e bactérias. Se estiver mais úmido que o usual, verifique se há poças em volta das árvores e crie canais de irrigação, se necessário.

Se chover durante a colheita, as cerejas correm o risco de inchar e cair no chão. Fique de olho nas previsões e tente se antecipar a qualquer chuva com safristas adicionais, se necessário.

Prepare terreiros de secagem em uma encosta, se possível – dessa forma, se chover inesperadamente sobre eles, pelo menos o café não ficará na água. Telhados ou coberturas retráteis são uma boa maneira de minimizar ainda mais a exposição à chuva. Se estiver sem orçamento, lonas também funcionarão.

Mas o café coberto ainda está em risco. Bruno diz: “Se a chuva for prolongada, dependendo do processo de pós-colheita adotado, o lote coberto poderá ter perda de qualidade”.

Crédito: Fernando Pocasangre

Francisco me conta que, quando chove de maneira irregular, sua fazenda usa secadores mecânicos. São um investimento, mas podem acelerar a secagem e até salvar uma colheita durante uma estação inesperadamente chuvosa.

Keith sugere que, se todo o resto falhar, você pode considerar mudar a colheita. Ele diz: “Conheço um agricultor que teve um problema enorme com chuva e não conseguia secar o café nem se sua vida dependesse disso. Ele tinha um amigo que tinha um terreiro gratuito a uma hora de distância que não apresentava problemas de chuva. Ele mudou o café para lá para secar e salvou com sucesso sua colheita!”

Crédito: Julio Guevara

  • Como Lidar com a Seca

A água é um elemento chave de qualquer fazenda. Sem acesso a umidade suficiente, as plantas de café não produzem frutos. Keith me diz que se não houver chuvas suficientes durante o plantio, as árvores jovens morrerão. E se um período seco continuar muito tempo após a floração, a árvore perderá seus botões, resultando em uma colheita ruim. Ele diz que a chuva é muito importante durante a fase de formação dos frutos.

Os sistemas de irrigação são uma maneira eficiente de garantir que todas as suas colheitas recebam água suficiente. Francisco diz que “a Fazenda Lavrinha tem quatro projetos de irrigação por gotejamento nas lavouras de café. Esses sistemas possuem alta eficiência, que, combinados com um programa de gerenciamento, podem alcançar alta produtividade com sustentabilidade, otimizando os recursos hídricos e energéticos.”

Ele me diz que, por meio de um sistema de monitoramento climático, ele sabe que duas precipitações ocorreram em agosto, quando o café estava pré-florido. “Houve um período de 37 dias sem chuva com temperaturas crescentes. Este é um período muito crítico para o café e, nesse caso, o uso da irrigação com um sistema de manejo foi fundamental para evitar a redução da produção.”

Você pode não conseguir pagar um sistema completo de irrigação por gotejamento e monitoramento climático, mas a irrigação de superfície pode ser mais acessível. Você também pode instalar pontos de água em toda a fazenda para coletar água da chuva para uso durante períodos secos.

Crédito: Ivan Laranjeira Petrich

Se suas lavouras forem atingidas por uma condição climática inesperada, pode ser estressante e desmoralizante. Nesta era de mudanças climáticas, é provável que você tenha que lidar com algumas surpresas. Mas existem maneiras de minimizar o impacto. 

Keith diz: “Seja criativo, saiba quais problemas podem surgir com o mau tempo e tenha um plano A, um plano B e um plano C. Faça amigos e não se isole”.

Bruno me disse que “as cerejas do café são frutos com metabolismo ativo, processos pós-colheita, umidade dos frutos, maturação, temperatura de secagem [todas podem ser afetadas pelo clima]. Você fez o seu melhor; aguarde o resultado.”

Curtiu? Você também pode gostar:

Entrevistas com Bruno Ribeiro e Francisco Guimarães, traduzidas do português pelo autor e Hazel Boydell.

Traduzido por Ana Paula Rosas.

PDG Brasil

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!