29 de julho de 2020

Produtor: Torrar seu Próprio Café Melhora a Qualidade do Café Verde

Cordilheiras sem fim, árvores de café caídas com cerejas vermelhas maduras e grãos de café dourados secando em terreiros suspensos: isto é o que geralmente pensamos quando imaginamos um país produtor de café.

No que não pensamos imediatamente é o café torrado. No entanto, mais e mais produtores estão percebendo a importância de torrar suas próprias colheitas. Da análise da qualidade à diversificação de renda, isto oferece muitos benefícios às comunidades.

A Cooperativa San Pedrana, na Guatemala, é apenas uma das muitas cooperativas de café que fazem isso. Falei com o presidente da cooperativa, Don Timoteo Charuc, e com Ryan Chipman, proprietário da Yepocapa Coffee, que vende café, para descobrir mais sobre o impacto disto.

Leia também: Como Produzir Café Especial?

drying patio

Crédito: Elliot Lambdin, Jubilee Roasting Co

Apresentando a Cooperativa San Pedrana

San Pedro, Yepocapa: esta região é cercada por dois dos vulcões famosos da Guatemala, Fuego e Acatenango. É também o lar de muitos produtores de café, que se beneficiam do solo vulcânico fértil.

Em 1967, um grupo desses produtores se uniu para combater a queda do preço do café e o aumento dos custos de produção. Este foi o nascimento da Cooperativa San Pedrana.

Don Timóteo me diz que operar como uma cooperativa tem vários benefícios financeiros. “O preço do café é melhor quando vendido como um grupo”, diz ele. “Quando você compra fertilizantes… e outros suprimentos, também obtém um preço melhor porque é uma organização. Os custos são minimizados.”

Ele também explica que eles puderam se beneficiar de taxas de juros mais baixas para empréstimos e assistência técnica de instituições como a Anacafé, a associação nacional de café da Guatemala.

Atualmente, a cooperativa possui 43 membros formais e 60 aspirantes a membros que ainda não votam nas ações da cooperativa. Os membros aspirantes precisam esperar três anos para se tornarem membros formais.

Durante esse período, eles comprovam seu compromisso aderindo aos padrões de qualidade da cooperativa. Isso inclui a colheita uniforme de cerejas maduras de café e o manejo adequado da fazenda e técnicas agrícolas. Isso é importante para a certificação da cooperativa com UTZ, Starbucks e Fairtrade.

Você pode gostar de Como Melhorar a Qualidade do Café na Colheita e Beneficiamento

região de yepocapa

Crédito: Elliot Lambdin, Jubilee Roasting Co

Preços baixos e Instabilidade 

Trabalhar como uma cooperativa ajudou o grupo a receber melhores remunerações pelo café. Don Timóteo me diz, no entanto, que esses preços ainda não são sustentáveis, pois se baseiam no mercado de commodities.

A cooperativa enfrentou um dos seus maiores desafios em 2001, quando os preços caíram para 50 centavos de dólar por libra-peso na crise global do café . A comunidade foi duramente atingida, com muitos perdendo o emprego – mesmo os que estavam trabalhando apenas indiretamente no setor cafeeiro. Don Timóteo testemunhou muitos agricultores optando por deixar suas terras para procurar trabalho na cidade ou mudando para o cultivo de commodities mais rentáveis.

Ainda hoje, Don Timóteo me diz que é difícil atrair pessoas para a indústria. Os preços baixos e muitas vezes insustentáveis​​ pagos pelo café no mercado de commodities tornam a cafeicultura uma profissão pouco atraente.

Esses desafios levaram a cooperativa a concluir que eles precisam melhorar a qualidade do café e, em vez disso, competir no mercado de café especializado.

Que tal ler Condições Naturais ou Manejo: O Que é Mais Importante Na Qualidade do Café?

processamento de café

Crédito: Elliot Lambdin, Jubilee Roasting Co

A Mudança para a Torra de Café

Com a cooperativa trabalhando para melhorar a qualidade do café, o recebimento de uma torrefadora chegou no momento perfeito. Como parte do programa Behmor Inspired , a fabricante de equipamentos Behmor doou mais de US $ 200.000 em equipamentos para cooperativas e associações nacionais de café em todo o mundo. A Anacafé fez uma parceria com a Behmor Inspired para distribuir algumas doações pela Guatemala – e, como resultado, a Cooperativa San Pedrana recebeu um torrador Behmor 1600+ e um Behmor Brewer certificado pela SCA há alguns anos.

Isso permitiu à cooperativa torrar seu próprio café verde e avaliá-lo em cupping, o que significa que eles puderam provar o impacto de seus métodos de controle de qualidade e testar novas práticas agrícolas.

A mudança teve um impacto óbvio.

Ryan me diz que, como muitos produtores nunca haviam conseguido tomar seu café, “os agricultores… pensavam que a qualidade derivava de uma área ou região onde o café era cultivado”.

Prová-lo, no entanto, permitiu-lhes ver um café além de sua origem geográfica. Ryan diz que, através do cupping, os produtores “começaram a perceber que não é a origem que produz a qualidade, mas é o trabalho que eles fazem”.

produtores prontos para torrar o seu café

Crédito: Elliot Lambdin, Jubilee Roasting Co

Como Torrar Café Melhora as Práticas Agrícolas

Como os produtores viram por si mesmos o impacto dos métodos agrícolas na qualidade da xícara, começaram a prestar ainda mais atenção às suas colheitas.

Ryan me diz que apenas dois anos atrás, 60% da colheita era “bastante madura”, enquanto o restante estava maduro. No ano passado, no entanto, a cooperativa colheu principalmente cerejas maduras de café e adquiriu equipamento adicional de via úmida para separá-las. No final, 97% da safra que pretendiam exportar estava madura.

Don Timóteo diz que a torrefação também os ajudou a tomar decisões sobre o processamento do café. Agora que eles podem tomar seu café e analisar a qualidade, eles podem melhorar suas práticas de cultivo e processamento.

produtores provando os seus cafés

Crédito: Elliot Lambdin, Jubilee Roasting Co

Torrar Café Significa Novos Mercados 

Mas a torrefação não apenas ajudou a cooperativa a analisar e melhorar a qualidade do café. Também abriu um mercado adicional.

Ryan me diz que eles começaram a vender seu café em cafés locais em Yepocapa. Embora em pequena escala, Don Timóteo acredita que é um bom mercado futuro para a cooperativa explorar.

torrador de café behmor

Crédito: Behmor

Torrar Café Empodera os Produtores

Torrar café não apenas permitiu que os produtores provassem seu próprio café. Isto capacitou a Cooperativa San Pedrana a fazer escolhas conscientes sobre suas práticas agrícolas. Isso significa que os produtores têm mais propriedade e ação sobre seu trabalho.

“Você precisa só ver os sorrisos e o orgulho quando os agricultores recebem seu próprio café em uma torra mais profissional e formal”, diz Ryan. “É muito orgulho do trabalho deles provar o próprio café… provar o próprio trabalho”.

Don Timóteo compartilha um sentimento semelhante.

“Aprender a torrar café tem sido uma jornada diferente da que tivemos antes. Foi uma oportunidade que queríamos aproveitar para conhecer um lado diferente do mundo cafeeiro, um lado que historicamente nunca conhecemos, porque os agricultores geralmente vendem seu café sem saber o que acontecerá com ele mais tarde;” ele me diz, “então queremos que eles saibam o que acontece a seguir”.

“Isso nos ajudou muito a melhorar a qualidade do nosso café, poder tomar decisões em nossos processos, e abriu novas possibilidades para o nosso café e para nossas famílias.”

Todas as falas de Don Timoteo Charuc foram traduzidas para o inglês por Abdiel Tax.

Traduzido para português por Ana Paula Rosas.

PDG Brasil

Observação: este artigo foi originalmente patrocinado pela Behmor.

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!