23 de maio de 2020

As Vantagens do Mapeamento de Campo na Cafeicultura

Como você pode obter maior produtividade e melhor qualidade em sua fazenda de café? Através do mapeamento de campo. O método pode ajudá-lo a entender melhor sua terra, melhorar o rendimento e a qualidade e criar uma oportunidade para destinar o café especial e o café de commodity ao mercado correto.

Veja o que é o mapeamento de campo, como ele funciona e o que está impedindo que ele seja mais amplamente usado.

Você também pode gostar: Desvendando os Mitos do Pós-Colheita do Café

farmer picking coffee cherries from tree

Crédito: Maren Barbee via Flickr

O que é Mapeamento de Campo?

O mapeamento de campo é uma análise de dados agrícolas. Ao coletar e analisar dados sobre suas lavouras de café, você pode introduzir planos de manejo mais precisos, monitorar a qualidade e potencialmente aumentar o rendimento. O café pode então ser vendido como commodity ou de especialidade para o mercado relevante.

Em termos simples, o mapeamento de campo permite combinar o café certo com a parte certa de sua terra e entender o que ele precisa para prosperar.

Através da análise de dados, você pode marcar lotes com alto potencial para investimento adicional de recursos. Lotes com menor potencial podem receber menor investimento, em linha com a lucratividade prevista. Após a colheita e o processamento, cada lote é vendido ao mercado apropriado.

Usando métodos como análise de solo e dados visuais, o mapeamento de campo pode economizar tempo, esforço e dinheiro dos produtores.

grupo de fazendeiros aprendendo sobre mapeamento de campo

Crédito: One by One/Grupo Agrocoban

Por que Usar o Mapeamento de Campo?

Em 2016, a média mundial de produção de café foi de 17 sacas por hectare. Isso variou muito entre 42 sacas por hectare no Vietnã, 23 sacas por hectare no Brasil e 8 sacas por hectare na Etiópia. A OIC atribuiu essa variação a más práticas agrícolas. Afirmou que “menos de 10% dos pequenos agricultores na África usam proteção de culturas ou fertilizantes, e a maioria tende a não utilizar técnicas agronômicas básicas”.

Na quarta Conferência Mundial do Café, em 2016, Geraldine Joselyn Fraser-Moleketi, apresentando-se como Enviada Especial sobre Gênero para o Banco Africano de Desenvolvimento, declarou que “devemos apoiar os agricultores para alcançarem maior produtividade do café e melhor qualidade através de melhores práticas de gestão da fazenda”.

Essas melhores práticas de gerenciamento de fazenda incluem mapeamento de campo. Vamos examinar os benefícios práticos, alguns exemplos da vida real e o mapeamento de campo envolve.

colheita mecanizada do café

Colheita mecanizada. Crédito: Fazenda Santa Jucy

Mapeamento de Campo Significa Mais Qualidade

A Fazenda Santa Jucy é uma fazenda no estado de São Paulo, que produz arábica. O diretor, Alexandre Provencio, conta que ele introduziu o mapeamento de campo há quatro anos. Ele diz que antes de fazê-lo, os planos de manejo agrícola na Santa Jucy eram limitados, com até 20 hectares de terra usados ​​para cultivar uma variedade de café.

Depois de analisar o solo, provar e classificar cada talhão, ele descobriu que “um campo de cerca de 20 hectares [possuía] cerca de quatro tipos diferentes de características”. Cada uma dessas características mudou a maneira como a mesma variedade de café crescia.

Armado com seu novo conhecimento sobre a terra, Alexandre dividiu esses 20 hectares em lotes menores, com base nas diferentes características. Desde então, ele conseguiu direcionar melhor seus recursos. Em vez de aplicar fertilizante em todos os 20 hectares, ele pode usá-lo apenas nos lotes específicos que precisam dele. Isso reduz os custos e permite que cada lote de café se desenvolva.

Leia também: Como Garantir Consistência na Fermentação e Processamento do Café

ripe and unripe coffee cherries in bag

Crédito: Fazenda Santa Jucy

Combinando o Café com seu Mercado Certo 

Alexandre me disse que o mesmo local tem o potencial de produzir café especial excepcional, café especial e café commodity. O desafio na Santa Jucy, diz ele, é manter altos os percentuais de especialidade. Para conseguir isso, lotes com potencial para produzir café de qualidade especial são tratados diferentemente daqueles previstos para produzir café commodity.

É uma maneira habilidosa de se gerenciar uma fazenda. Em vez de investir tempo e dinheiro na tentativa de obter café de qualidade especial de um lote grande, por que não determinar onde faz sentido se concentrar na especialidade e onde se presta ao café commodity? E então trate cada lote de acordo com seu mercado final.

Através de testes de solo, você pode determinar a melhor variedade de café para cada área de sua fazenda e identificar onde usar fertilizantes. Em vez de considerar commodities e especiais melhores ou piores do que os outros, pense nisso como combinar a terra com o melhor café e depois o café com o mercado certo. Idealmente, as duas culturas devem se apoiar. Alexandre até diz que você “não pode ter especialidade sem commodity”.

Sem o mapeamento de campo, o café de todos os 20 hectares do campo de Alexandre poderia ter sido vendido como commodity, apesar de haver áreas com café de qualidade especial. O mapeamento de campo pode ajudá-lo a entender melhor sua terra e café e a prever os lucros com mais precisão.

farmers learning about field mapping in coffee farm

Crédito: One by One/Grupo Agrocoban

Como Funciona o Mapeamento de Campo

O mapeamento de campo pode ser dividido em duas áreas de análise de dados: agronômica e visual. A forma mais comum de mapeamento agronômico de campo é a análise do solo.

Vamos ver um exemplo concreto. O nitrogênio é necessário para o desenvolvimento saudável da safra, mas excesso de nitrogênio nos estágios finais do crescimento pode reduzir o tamanho final da cereja. Com a análise do solo, você pode verificar os níveis de nitrogênio em sua terra e tratar o solo adequadamente. As frutas finais serão maiores e a colheita mais lucrativa. O mapeamento de campo leva a análise do solo um passo adiante – em vez de observar a qualidade do solo em uma área, é a ideia de observar como o solo varia em sua fazenda e identificar a melhor forma de usar cada lote.

Manuel Ramos é o coordenador do programa de sustentabilidade One by One na Guatemala. A iniciativa ensina os pequenos agricultores como mapear o campo. Ele me diz que o One by One ensina os agricultores a medir os níveis de pH e os nutrientes no solo e, em seguida, agrupa suas colheitas de acordo com suas deficiências. Os produtores podem então aplicar o tipo e a quantidade certos de fertilizante no lote certo.

view from coffee farm

Crédito: Julio Guevara

Para fazendas maiores, o mapeamento do campo visual por meio da tecnologia GIS pode ser mais eficaz. A Jarvis Technologies usa a tecnologia GIS e drone para analisar culturas em grandes fazendas de café. O CEO da empresa, Luis Gomez, me diz que esta tecnologia é capaz de produzir imagens de alta resolução, mapas interativos GIS e modelos 3D de fazendas.

Luis diz que pode levar um ou dois meses para mapear manualmente uma fazenda, mas que com a tecnologia GIS e drone, 100 hectares podem ser capturados em 30 minutos. Os resultados podem ser entregues aos produtores em um dia ou dois.

Essa rápida recuperação é essencial para impedir a propagação de doenças visíveis. A ferrugem das folhas, por exemplo, pode se espalhar por uma fazenda em menos de 15 dias. Com o mapeamento GIS, você pode ver as coordenadas exatas das áreas afetadas e saber exatamente onde aplicar o fungicida.

Você também pode gostar: Quais os Principais Desafios Enfrentados por Produtores de Café?

Coffee trees at coffee farm

Crédito: Julio Guevara

Os Custos e Aspectos Práticos do Mapeamento

Embora o mapeamento de campo seja útil tanto para pequenos produtores quanto para agricultores de grande escala, e possa ser aplicado a commodities e cultivos de especialidade, seu uso é limitado por despesas. Atualmente, há uma falta de tecnologia financeiramente acessível projetada para pequenos agricultores e o acesso à tecnologia é limitado.

Mas existem maneiras acessíveis de começar a introduzir estes princípios em sua fazenda. Considere quais culturas crescem melhor em qual área e analise os testes básicos do solo. Ao identificar deficiências nutricionais, você pode escolher qual variedade de café melhor se adequará a cada lote de sua terra e onde investir mais recursos. Você também pode provar o café de cada lote e avaliar a qualidade para obter uma ideia de qual área combina com qual variedade.

O mapeamento de campo pode permitir que você entenda melhor sua terra, direcione recursos e comercialize o café final – seja commodity, especial ou ambos.

Traduzido por Ana Paula Rosas.

PDG Brasil

Gostaria de ler mais artigos como este? Assine nossa newsletter!