28 de abril de 2020

Colheita Manual de Café versus Mecanizada

Café especial exige excelência em todas as etapas da cadeia produtiva. E isso significa que apenas os grãos de café das cerejas mais maduras devem chegar ao produto final.

Mas há mais de uma maneira de colher cerejas de café. Os produtores podem colher os frutos manualmente ou mecanizar sua colheita, e sua escolha terá impacto na qualidade do café, custo de produção, impacto ambiental, social e muito mais.

Veja também: Quais os Principais Desafios Enfrentados por Produtores de Café?

cerejas de café

Cerejas verdes e maduras de Mundo Novo em Minas Gerais. Crédito: Julio Guevara

O que é Colheita Manual?

A colheita manual de café exige que os trabalhadores colham os cafés, literalmente, à mão. Em algumas fazendas, os catadores colhem todas as cerejas ao mesmo tempo. Frequentemente, eles apenas colocam a mão em torno da base de um galho e puxam a mão ao longo dela, puxando todas as cerejas. Isso é chamado de derriça. Essas fazendas normalmente produzem cafés que são direcionados ao mercado de commodities.

Em outras fazendas, voltadas para o mercado de especialidade, elas apenas colherão as cerejas maduras. Isso garantirá sabores mais doces e complexos na xícara, pois os açúcares terão mais tempo para se desenvolver. Os catadores terão que fazer várias visitas para que possam colher as cerejas à medida que amadurecem. Isso é chamado de colheita seletiva.

A colheita manual / à mão de café é comum na maioria dos países, incluindo o meu país natal, El Salvador. No entanto, há exceções para isso.

cerejas de café

A maior parte destes frutos está madura, mas alguns ainda estão verdes. Crédito: Amec Velasquez

O que é Colheita Mecanizada?

No geral, existem duas máquinas diferentes usadas para colheita mecanizada.

Derriçadeiras são máquinas menores e portáteis. Eles são um bastão longo com duas grandes “mãos” vibratórias no final. Os trabalhadores colocam plásticos ou lona embaixo do pé de café para pegar as cerejas que caem. Eles ligam a derriçadeira e a levam para os galhos de café, onde as vibrações soltam as cerejas.

derriçadeira de café

As “mãos” de uma derriçadeira. Crédito: Julio Guevara

A segunda opção é usar colheitadeiras. Estas são muito maiores e costumam ser dirigidas pela fazenda. Isso significa que elas podem colher muito mais café ao mesmo tempo. Eles têm hastes rotativas e vibratórias que soltam as cerejas. Um sistema de pratos e tubos os pega e os transfere para uma caixa.

As colheitadeiras economizam tempo, mas nem sempre são uma opção devido à topografia da fazenda. Elas só podem ser usadas ​​onde a terra é relativamente plana.

A colheita mecanizada é comum em diversos países, incluindo Brasil, Havaí e geralmente ocorre em grandes fazendas. Apesar de ser possível produzir café especial, a colheita mecanizada está associada principalmente a produção de café de qualidade inferior e grandes volumes.

Em 2017, fui à Conferência Brasil e Café Sustentável, no Brasil, onde tive a oportunidade de visitar a cooperativa de café Cooxupé. Também falei com Ricardo Pereira, diretor de café especializado da Ally Coffee. Eles compartilharam comigo alguns dos prós e contras do uso de colheitadeiras mecânicas.

fazenda de café

Colheita de café em Carmo Do Paranaíba, Minas Gerais, Brasil. Crédito: Fazenda de Café São Luiz

Qual Método de Colheita de Café é… Melhor para Qualidade?

A importância de se usar apenas cerejas maduras de café não pode ser exagerada. Cerejas pouco maduras ou em excesso (passa) adicionam notas desagradáveis ​​à xicara e podem até ser consideradas defeitos. Equilíbrio, consistência e complexidade serão reduzidos. E se uma amostra de café tiver muitos defeitos, desqualificará o café do status de especial.

Por esse motivo, a maioria dos cafeicultores de café especial usa colheita seletiva. É amplamente recomendado por compradores especializados, porque a colheita manual por derriça e a colheita mecanizada também tendem a colher cerejas verdes e passas.

Os catadores também podem coletar informações sobre o cafeeiro, como saúde de galhos, folhas, cerejas infestadas de pragas e indicadores precoces de doenças ou fungos nas plantas. Esse conhecimento é crucial para monitorar a saúde das plantas e a qualidade do café, e devem ser feitas inspeções regulares às colheitas.

No entanto, isso não significa que, com outros métodos de colheita, você não possa levar à qualidade. Por exemplo, um produtor pode investir mais fortemente no controle de qualidade pós-colheita. Eles podem usar tanques de água para separar as cerejas com base nos níveis de maturação ou fazê-lo manualmente à mão. Quaisquer frutos imaturos seriam descartados em vez de deixados no galho para amadurecer depois.

Ricardo Pereira também me disse: “[Com a colheita mecânica], você pode ajustar as taxas de vibração e velocidade dos braços na máquina para garantir que você apenas colete as cerejas mais maduras”.

E como os frutos no topo da árvore tendem a amadurecer mais cedo, outro método é colher primeiro os galhos mais altos. Depois, mais tarde na temporada, os galhos mais baixos podem ser colhidos.

catador de café

Um catador usa uma derriçadeira para colher cerejas. Crédito: Julio Guevara

Talvez você se interesse por: Defeitos do Café e como Evitá-los: um Guia para o Produtor

…Mais Produtivo?

Os cafeicultores precisam considerar tanto a produtividade quanto a qualidade. Afinal, qualidade e produtividade não podem ser totalmente separadas: quanto mais tempo leva para as cerejas serem colhidas, maior a probabilidade de elas ficarem maduras até o ponto de passa e até cair do galho.

A mecanização pode ser considerada mais produtiva, porque as máquinas colhem o café mais rapidamente e cobrem mais terreno. Isso é particularmente relevante em fazendas maiores.

Por outro lado, pode levar a um maior investimento de tempo e esforço no pós-processamento, diminuindo a eficiência. Também poderia resultar em menores rendimentos de colheita se as cerejas de café imaturas forem descartadas após a colheita.

Com a colheita manual seletiva, os frutos verdes não precisam ser removidos da seleção durante o processamento (embora seja uma boa ideia ainda usar os tanques de água / flutuação para remover as cerejas defeituosas). Além disso, as cerejas verdes podem ser deixadas no galho para amadurecer e serem colhidas mais tarde, aumentando o rendimento da colheita.

No entanto, a escassez de mão-de-obra pode levar a que o café seja desprezado e, consequentemente, haja perda de colheitas e lucros.

Cerejas colhidas por derriçadeiras. Crédito: Julio Guevara

…Mais Lucrativo?

Seja na agricultura de commodity ou de especialidade, os custos da colheita devem ser considerados em relação aos benefícios financeiros oferecidos por maior qualidade ou produtividade.

Em Minas Gerais, o salário médio por colheita de um safrista de café é de R$ 1540 (Global Living Wage Coalition, 2016). Além disso, o transporte e outros benefícios são fornecidos pelo proprietário da fazenda.

E há outra questão, Ricardo me diz: “O trabalho rural é escasso. Atualmente, as pessoas querem morar na cidade, fazer faculdade e evitar trabalhar em fazendas. ”

Isso significa que, para o Brasil, a colheita mecanizada pode ser rentável – especialmente devido ao grande tamanho de algumas das fazendas de café do país. No entanto, é importante considerar também o custo inicial das máquinas e os custos de manutenção durante sua vida útil.

Por outro lado, em alguns países produtores, a mão-de-obra é mais barata e há mais trabalhadores rurais. Em El Salvador, o salário de um safrista de café é de cerca de 120 dólares por mês. Isso torna a contratação de máquinas de café muito mais acessíveis.

coffee cherries

A maior parte destas cerejas de café está madura – mas não todas. Crédito: Angie Molina Ospina

…Mais Sustentável?

É difícil dizer qual método é mais sustentável, especialmente quando existem muitos aspectos sobre a sustentabilidade. Em termos de sustentabilidade social, mais empregos são fornecidos na fazenda quando há colheita manual. No entanto, devemos considerar se eles são bem pagos e se oferecem uma boa qualidade de vida.

A sustentabilidade ambiental é crucial para os produtores de café. Eles terão que enfrentar as consequências de métodos agrícolas prejudiciais no futuro. E embora todas as máquinas tenham impacto ambiental, alguns equipamentos são melhores que outros. Máquinas de baixa emissão de carbono, por exemplo, estão disponíveis.

Carlos Alberto Paulino da Costa, ex-presidente da Cooxupé no Brasil, conta que as cooperativas podem fazer parcerias com organizações para melhorar suas práticas ambientais. A Cooxupé trabalha com a BASF Crop Protection para fazer isso.

“A sustentabilidade integra a principal demanda do mercado e da sociedade”, acrescenta. É importante para os produtores de café e também é algo que um número crescente de compradores deseja ver.

cerejas de café

Cerejas de café numa fazenda pertencente à cooperativa Cooxupé, em Minas Gerais. Crédito: Julio Guevara

Há um Método de Colheita que Seja o “Melhor”?

Em minha opinião, se você perguntar a um produtor qual método é melhor, estará fazendo a pergunta errada. Você precisa perguntar o quanto a mecanização está disponível e os trabalhadores são acessíveis, qual é o objetivo deles, as condições e a topografia da fazenda e muito mais.

Você pode fazer generalizações sobre a qualidade e os custos do café, mas os agricultores precisam observar o impacto geral de seus negócios.

As melhores perguntas seriam: esse método de colheita de café é adequado para você? E você o está usando com mais eficiência para seus objetivos, incluindo qualidade, sustentabilidade e produtividade?

Escrito por Julio Guevara.

Traduzido por Ana Paula Rosas.

PDG Brasil

Deseja ler mais artigos como este?  Inscreva-se na nossa newsletter!